Escala da Aflição

Grupo: A286
Álbum: Exército dos Excluídos
Ouça o som:   tocar tocar tocar



Fui programado pra roubar, rasgar peito na bala
Deixar vítima sem fisionomia desfigurada
Mais po, minha história triste no buzão
Com a mina Grávida, por comoção pra qualquer doação
Não tive a intenção dos rifles, dos míssil detonador
é só que escola de lata não forma doutor
quem dera oração fosse a libertação o fim
da dieta resumida em farinha e chá de capim
------- Vivacks que causa a malária
é flora normal no organismo mantido a migalha
Se pá até sustenta o filho, no alumínio pro ferro velho
Sem condição de roupa nova e nem plano medico
Entendo que a abolição da escravatura
só foi pra nomear emprego a exploração da indústria
Ainda escuto o grito de socorro que suplica
entre os escombros corpo acolisando vida

Refrão:
Enquanto a guerra não explode o meu coração
Agonizo trégua (trégua) na escala da aflição
a cor não é psicológica e nem santo se salva
um mar de corpo banhado em sangue e lágrima

Não conciliam ciência e religião
mais conciliam religião a bomba da explosão
a diferença de crença também é motivo dos conflitos
do decapitado vivo no celular em vídeo
não acredito que 96% do gênero humano
é idêntico ao do chimpanzé
Talvez a milhões de anos
Hoje o homem é tirano não divide o pão
Depois da invenção de grades com vigia pra proteção
prefere o fim do planeta super aquecido
que Comprometer sua renda CO2 não emitido
Vê como Teledramaturgia, melancolia
De quem ingere a gira pra viver mais um dia
Enquanto sua filha se droga pra orgia no cruzeiro universitário
meu pai se droga pra esquecer que tá desempregado
Condenado a outro morador de esgoto
Porque não quis o responsável do seu fracasso morto

Refrão

Vem ver se o carro e a casa própria saiu do sonho
de quem a 5 da manhã tá espremido num ônibus
Faz 40 Km em 3 horas pro trabalho
e é demitido por atraso
Larguei os livros porque meu ídolo fabricado por seus meios de comunicação não era estudado
não tem perfil pra big brother pro Fresh da casa
Paga pra pular carnaval sem calcinha em baixo da saia
querem minha filha aos 11 ainda criança
Agenciando programa, sonhando em trampa no barramas pra ser cliente iguatemi
Aluna do FMU, põe camisinha por empresario come o cu
----- teoria das necessidades
Entenderia que sobreviver tá além das vontades
Desperta sem remorso o mais cruel extinto
Se o sangue do inimigo for garantia de sorriso

Refrão

pro bairro nobre arvores gigantes no natal
pra cá exercito, como força policial
treinados pra atirar e só algemar morto
explodir os 220 tipos de células no corpo
onde do ponto de vista ético é atendado à vida
matar embrião humano pra tratamento e pesquisa
morte é a perda do sistema nervoso central
que aqui o doutor adianta pra comercio de órgãos no hospital
nesse freio gótico genial do Estado
Quando a minha mãe sem condição me pôs no orfanato
pra entender a diferença do castigo no porão
e o choque na DP pelo nome dos irmãos
Se violência do gambé fosse eficaz
Rio de Janeiro e São Paulo eram modelos de paz
No tema natureza e fúria que o Poder do Ciclone
nem se compara a eficácia anti paz do homem

Refrão





Tem erros na letra? Clique aqui para corrigir


Esse video não é dessa música? Clique aqui para nos informar

Veja mais letras e videos de

A286





Publicidade



Rap Nacional? Tá no lugar certo! © 2011 Rap Na Veia. Design originalmente por: spyka webmaster (www.spyka.net) XHTML e CSS validados

Feedback Form