Entre O Desespero e a Esperança

Grupo: Ao Cubo
Álbum: Entre o Desespero e a Esperança
Ouça o som:   tocar tocar tocar



------------REFRÃO----------------
Aqui é o rap da licença faz favor, chegando na moral independente da cor, numa só aliança, entre o desespero e esperança

No lugar do desespero já chegou a esperança, pras quebradas, pros buracos, beco e toda vizinhança ela veio pro malandro, que precisa de mudança, e pro pai desempregado ela trousse abundância Saciou o faminto, o humilde, o distinto, no rosto das dona Maria um sorriso lindo No meio dos latidos, chão batido, esgoto aberto, chicote estrala, mas chegou a água no deserto

ei feijão na minha quebrada o barato é loko o chicote estala também A leste é mil grau, salve salve os firmeza total o futebol e o rap é a alegria mó febre na periferia não é a solução, mas já tirou muito mano dos cano e da vida bandida vários parceiros, estão na lembrança morreram mais cedo, deixando saudade no coração da vizinhança confiança na nossa esperança que lança a tristeza pra fora e avança, me alcança, me da segurança, e não cansa de nóis, é nossa semelhança

------------REFRÃO----------------
Aqui é o rap da licença faz favor, chegando na moral independente da cor, numa só aliança, entre o desespero e esperança

Silêncio, me escuta, com atenção não discuta, é o grito da exclusão e ta de rédea curta Não é choro é um desabafo, me calaram, a gente muda, com nervo de aço, atrás da orelha uma pulga Banqueiros, milionários, voam sobre o atlântico, estrangeiros mercenários, fascista, titânico Envenenaram os pião o povão, mas a súplica subiu, do fundão, né Clebão

Que fita loka, os moleke de toca, da cabeça oca tão na sua bota nóis fala errado, num é bom de conta, mas nóis num é idiota No lugar da escola, cheiram cola querem o crime, o sonho dos moleques é ser herói de supercine O povo é a maioria, a burguesia se esquece, é o muro que separa o futuro dos pivetes Eles pensam assim, se é leite que o povo quer, então esparrama, um neném com a barriguinha com leite não reclama

------------REFRÃO----------------
Aqui é o rap da licença faz favor, chegando na moral independente da cor, numa só aliança, entre o desespero e esperança

do alto vem nossa força pra vencer a guerra do dia a dia Deus abençoe os guerreiro que tão na corrida tentando vencer na vida seja em itaquera ou Jaraguá Deus é cum nóis abençoe a criança pá nóis faça vô ... obrigado Senhor! Trais, a fartura, sobre o modesto, meu povo ta sofrendo, meu Deus eu te peço O progresso ta moiado, na quebrada, no morro, sem oportunidade a multidão pede socorro

Dinheiro, paz e saúde pros parceiros, na busca da esperança vivendo o desespero Mova-se jão, da um pick, não fique na acomodação, não, seja motivo do drinque comendo na mão dos chic com boca de zip Sangue bom não brinque, preste atenção com seu filho na rua, que o barato é louco la fora, essa é a hora, a responsa é tua o cão vem pra mata, rouba e destruir a gente a esquina é perigosa e atraente

------------REFRÃO----------------
Aqui é o rap da licença faz favor, chegando na moral independente da cor, numa só aliança, entre o desespero e esperança





Tem erros na letra? Clique aqui para corrigir


Esse video não é dessa música? Clique aqui para nos informar

Veja mais letras e videos de

Ao Cubo





Publicidade



Rap Nacional? Tá no lugar certo! © 2011 Rap Na Veia. Design originalmente por: spyka webmaster (www.spyka.net) XHTML e CSS validados

Feedback Form