Proibido Chorar

Grupo: Ao Cubo
Álbum: Um por Todos
Ouça o som:   tocar tocar tocar



A Cada dez horas, uma criança é morta no Brasil
Homicídios contra crianças e adolescentes é de 16 %
Os adolescentes são responsáveis por apenas 1¨% dos homicídios praticados
Portanto não são os principais responsáveis pela criminalidade
Na verdade são vitimas da violência e da exclusão social no País
Já viram de tudo, menos amor e sossego, no berço da violência
Crescem sem fé e sem medo
Entre armas e fardas raiva causa e desespero
Não sei o que eu seria sendo assim desde cedo
Fecharam todas as portas e depois deram as costas
Já desacreditei de endireitar pessoas tortas
Mais quem sou eu pra duvidar
Já vi muitos milagres vi tanto bandidão
Transformado de verdade
Eu sei que tem uns covardes que se esconde atrás da bíblia
O que?
Odiou é doenças, e tem cura é só querer
Vários manos querem ter
Referencia estão confusos
Vendo pai em combate
Fuzilado de bruços
Criado pela rua
Pela pedra é o motivo
Alguma coisa não tá bem
São apenas meninos
Pedindo socorro
Esperando alguém ajudar
É proibido CHORAR
Socorro me ajuda
Por favor, me ajuda
Se tiver alguém a ir com Fé
Não consigo mais ficar em Pé ( 2 )
O desprezo sofrido
Ofensa do mais alto nível
São herdeiros do craque
Como isso é possível
Quem que cresce normal depois de um parto no lixo
A seqüela é ação
E a reação é terrível
Varias internações
Em orfanatos e FEBEM
A viciada que te teve não te quer bem
Lembra como ninguém e é impossível esquecer
Pai procura outra mãe
Não gosto mais de você
Ela deve saber
Que o veneno amarga
Ainda deve sentir
O sabor da palavras
Sou muito pequeno
Pra me defender
Não vê que isso machuca
Quer me ver Sofrer?
Quem conhece o ditado
Tal pai tal filho
Se a mulher é isso aí
Imagine o divino
Depois dos longos 11 anos e meio de reclusão
Na capivara registrado
Ex-preso ex-ladrão
Sem trampo, doente
Sem dente
Sem profissão
Os trapos no corpo
Um lanche
A passagem do buzão
Permissão pra liberdade
Presente de grego
Vai lá pro último lugar
Na disputa injusta pelo emprego
Marcado pelo antecedente atrás da grade
Num mundão monstrão bem
Pior de volta
Sem massagem
Catar umas latinha uns papelão
Jamais vai pra trás da muralha juntamente com outros pais
Maldição hereditária voraz
É bem capaz
Espírito do mal pega o que é seu e sai
Se ninguém estende a mão
Como vão dar um breque
Se os moleques tão perdido
E nem passa do 17
Só uma razão pra crer
E várias pra duvidar
É proibido chorar
Socorro me ajuda
Por favor, me ajuda
Se tiver alguém a ir com Fé
Não consigo mais ficar em Pé
O desespero é o comando
Rajada droga e tortura é o ninho
Onde os assassinos nascem e crescem em fartura
Descaso sem culpa nenhuma
E ninguém quer saber
Jogados na vala sem fala
Programados pra morrer
E o ódio traz mais ódio
E não para de crescer
É o mal que o fogo faz quando começa a arder
E pra ter e manter a sanidade sempre estável
Entre os sobreviventes
É só mais um miserável
Num fundo do fundo
Queriam ser normais
Ate um mau aluno desse que reprovam
E pro futebol largam tudo
Desses que apanham na mão
Castigos pra correção
Mas saber que alguém se importa
E que dá atenção
Não não não
Não é caso de policia
Nem de Estado corrupto
Que só faz viaduto
Pra desviar mais tributo
Na moral
Quem tá sã
Quem é o sal da terra, o adubo
Quem que foi chamado pra transformação e luz do mundo
Esqueceu o pobre é esqueceu
O reino é perder rumo
É esquecer pra que veio
Lembre sempre do Ao Cubo
Todos são Teus na claridade ou no breu
Num quer perder nenhum filhote
Não vai dar nunca deu
Precisa mais que clamor, ação do adorador
Levanta e marcha soldado sua missão não acabou
Pra que vamos dividir se a ordem é se misturar
É Proibido chorar
Socorro me ajuda
Por favor, me ajuda
Se tiver alguém a ir com Fé
Não consigo mais ficar em Pé (2X)





Tem erros na letra? Clique aqui para corrigir


Esse video não é dessa música? Clique aqui para nos informar

Veja mais letras e videos de

Ao Cubo





Publicidade



Rap Nacional? Tá no lugar certo! © 2011 Rap Na Veia. Design originalmente por: spyka webmaster (www.spyka.net) XHTML e CSS validados

Feedback Form