Meio Estranho e Meio Cabuloso

Grupo: Cirurgia Moral
Álbum: Num dá Nada...Se der é Pouca Coisa!
Ouça o som:   tocar tocar tocar



Meio cabuloso...

Meio cabuloso...

Tudo fácil, vai embora fácil

E voltar pro zero é um passo

Conectado no passado pouco distante

E no semblante já se via de longe

Boa coisa é que não tá pensando

O que será que agora tá tramando

Algum esquema, alguem que tem problema

Alguem que chora, alguem que se lamenta

Meio estranho e meio cabuloso, espaçoso com um futuro fosco

Marca registrada, na rua não dá nada

Seja na Saanba, na Seilandia ou na Chapa

É no D.F., a morte não aquece

E não dá boi, e muitos que enlouquecem

Ninguém se esquece ou se admira

Na culpa velório, enterro, na missa

Só foi mais um, entre milhares

Pra lá do muro, tristeza pros familiares

E é nos lares que se encontra o conforto

E no natal se ganha o tênis novo

Cena nova e o velho episódio

É só mais um na clínica do ódio

Tem quem tem dinheiro e Grand Cherokee

Tem umas jóia, uns ouro, um estopin

Tudo fácil, vai embora fácil

E voltar pra merda é um passo

Conectado no passado pouco distante

E no semblante já se via de longe

Boa coisa é que não tá pensando

O que será que agora tá tramando

Algum esquema, alguem que tem problema

Alguem que chora, alguem que se lamenta

Alguem que grita pedindo socorro

Querendo que você não seja morto

E a maioria por aqui não tá nem aí

Só esperando você cair

Tudo fácil, vai embora fácil

E voltar pro zero é um passo

Conectado no passado pouco distante

E no semblante já se via de longe

Boa coisa é que não tá pensando

O que será que agora tá tramando

Algum esquema, alguem que tem problema

Alguem que chora, alguem que se lamenta

Tem muita fita boa, diversas bocas

Muito dinheiro e uma vida a toa

Correndo risco, profissão perigo

Puxa o cão e aperta o gatilho

Regenerados pela ocasião

Desenpregados na fila da questão

O que se passa na cabeça você tá ligado

Sem estudo, formação ou trabalho

Se vive assim, a grande maioria

Na esperança de ser alguem na vida

Ser polícia, alguns tem coragem

Sinceramente eu não vejo vantagem

Nem a malandragem dos fraco de alma

Nem a pistola, nem o domínio de área

Vê a bagaceira, em plena sexta-feira

É mesmo assim, ninguem sai da mesma

Tando Pala e o Tomé, como pode?

Mas tem otário que sempre cai nos gope

O que é seu é seu, o que é meu é meu

Porque o seguro, de velho já morreu

Tudo fácil, vai embora fácil

E voltar pro zero é um passo

Conectado no passado pouco distante

E no semblante já se via de longe

Boa coisa é que não tá pensando

O que será que agora tá tramando

Algum esquema, alguem que tem problema

Alguem que chora, alguem que se lamenta

Quem for capaz de sair daqui ganha o prêmio

Um campeão da favela e do milênio

Ao extremo, barreiras, dificuldades

Se vai vivendo longe da maldade

Sem igualdade e sem miséria o sangue é derramado

De inocentes e culpados

Troca idéia, casinha, tocaia

Pra não erra e não ter falhas

Se tem chance? Aqui tem seis

E a revanche? Aí, só sei de mim

Em quem confiar, a não ser em você mesmo

E em Deus, esse é o segredo

Tem os primeiros que vão ser os últimos

E a sequência da vida toma outro rumo

Bem diferente, intransigente

Esqueço o crime, antes que a chapa esquente

Tudo fácil, vai embora fácil

E voltar pro zero é um passo

Conectado no passado pouco distante

E no semblante já se via de longe

Boa coisa é que não tá pensando

O que será que agora tá tramando

Algum esquema, alguem que tem problema

Alguem que chora, alguem que se lamenta





Tem erros na letra? Clique aqui para corrigir


Esse video não é dessa música? Clique aqui para nos informar

Veja mais letras e videos de

Cirurgia Moral





Publicidade



Rap Nacional? Tá no lugar certo! © 2011 Rap Na Veia. Design originalmente por: spyka webmaster (www.spyka.net) XHTML e CSS validados

Feedback Form