Negros

Grupo: Código Fatal
Álbum: [Desconhecido]
Ouça o som:   tocar tocar tocar



Sujeito que você trata seu semelhante não parece a você um fato tão importante
Tenho a lhe dizer, não quer me ouvir, faça me calar se puder conseguir
Eu não falo só por falar, só falo a verdade pra quem quiser vem me escutar
Alta sociedade não é coerente tratam os pobres como se fossem diferentes
Descriminados nós seremos para sempre, enquanto a juventude não se torna consciente
E que um dia estivemos bem pior, e mesmo assim lutamos por um mundo bem melhor
A sua ignorância que te leva a pensar, que o mundo é um inferno e que nunca vai mudar
Bem, bem, bem, bem, bem, não está, do jeito que tá, não vai ficar
O próprio negro descriminado, dizendo que o branco não lhe dão valor
Caímos num abismo de perseguição, aonde o que prevalece é a dura lei do cão
Ignorância no Brasil é um fato tão real, só pode ser aniquilado por nós, Código Fatal
Escravidão nunca irá se acabar, bem debaixo dos seus olhos ela irá continuar
Você é cego mal que foi se acostumar, a ser escravo sem se acorrentar
E o fim do mundo já está bem perto, e ambas as raças um dia irão se enfrentar ao certo
E o sangue vai se espalhar, pelo solo que um dia Deus quis abençoar

Nós somos negros, pobres, descriminados, lutando pelo futuro para vingar o passado
Será possível um dia vivermos em paz, será que a sociedade só anda pra trás
Se o preconceito racial conseguirmos destruir, somente desta maneira irá o Brasil evoluir
É somente um sonho que você quer realizar, é melhor abrir os olhos e tentar enxergar
Realidade do que acontece, você não pode entender melhor fingir que se esquece
Cai na ilusão que o governo lhe oferece, Carnaval, Futebol, isso te deixa alegre
Vivemos num País onde o pobre tem cor, dizendo que é preto e de falso valor
Liberdade, abra as portas segue o destino, como as gaivotas que percorre o mesmo caminho
Sentido obrigatório de nós faz instrumento, da paz, a Fé é uma parede de cimento
Que fere, perfura mas não desmorona, nas aflições da vida, Deus não abandona
Diferença abala, não abaixe a guarda, pare, pense, sua vez de dar as cartas
Quero um lugar onde tenha respeito, independente se é branco ou preto
Massacre de Roosewood, o estopim uma mentira, que proliferou até os nossos dias
Martin Luther King, Nelson Mandela, dessa história eu também sou parte dela
Um lugar ao sol, iluminado a luz da lua, que Deus abençoe a minha vida e a sua

Nós somos negros pobres descriminados, lutando pelo futuro para vingar o passado





Tem erros na letra? Clique aqui para corrigir


Esse video não é dessa música? Clique aqui para nos informar

Veja mais letras e videos de

Código Fatal





Publicidade



Rap Nacional? Tá no lugar certo! © 2011 Rap Na Veia. Design originalmente por: spyka webmaster (www.spyka.net) XHTML e CSS validados

Feedback Form