Campo de Guerra

Grupo: Detentos do Rap
Álbum: Apologia ao Crime
Ouça o som:   tocar tocar tocar



me tiraram a paz quebraram a trégua
transformaram nossa vila num campo de guerra
só se sabemos de tudo e não sabemos de nada
no ozem da vila vejo diversas paradas
é o ponto de encontro da rapa local
onde exibem seus artigos seus veículos são os maiorais
com muito dinheiro no bolso ganhado na lei de um mundo
criminoso
na quebrada é assim o h maior
a lei tem que ser regida e não ter dó
vem o pai vem o filho e vem o neto
nascido e criado na vila progresso
zona leste bairro de itaquera
na favela da piloto os manos me esperam
vila sinhá pedroso jd. rosário cidade nova curuçá rubro
enitroperário
são uma família só somos considerados
é sete da noite tem que levar a mina no colégio
são bem visto na vila ando sempre certo
alguém está tocando em casa
um camarada veio me dizer
e aí daniel diga mano um mano seu acaba de morre
é foda!
saí com a cabeça a mil desci na favela
não demora muito pra saber
quem era o corpo esticado no chão na esquina da viela
com um monte de criança passando em cima dela
era o luciano
o mais novo traficante que a polícia revela
sua mãe ali gritando sem saber o que aconteceu
não entendia nada tiraram o filho seu
era o filho único ela ficou só
meu deus tenha pena meus deus tenha dó
essas são as palavras de uma mãe desesperada
que teve seu único filho morto com várias rajadas
mas quem se envolve com essa porra dessa fita
é sempre assim
assina seu próprio óbito compra seu fim
no sábado de manhã na quadra de basquete
ouço comentar a cena se repete
e dessa vez do lado oposto
os manos que ontem eram sossegados hoje é criminoso
em frente ao ozem um opala parado
agitação tumulto todo mundo armado
há mais um assassinado
já era o meu sábado acabou a minha festa
extermínio guerra fria é o que nos resta
profecia cumpriu a cena se repetiu
um saldo de 5 mortos na pires do rio
me tiraram a paz quebraram a trégua
transformaram nossa vila num campo de guerra
é foda porque isso tem que acontecer
para arrumar inimigos basta estar no poder
eu to muito louco to saindo fora
muitos inimigos envolvidos é zona de perigo
não quero que a minha mãe chore
tanta coisa boa que tenho pra apreciar
uma idéia sadia mulheres basquete
um samba ao vivo no bar
um som pesado na terraço em são miguel
mulher é o que não falta pra levar pro motel
na vila verde também tem outra festa
av. são paulo tem grande quermesse
sexta
feira um dia normal
reunião na borracharia do novinho vamos pro radial
eu branquinho claumir naldinho
a gente faz a festa w a zona leste é toda nossa zueira
é nosso nome w a curtição é nosso
negócio!
somos pobres pretos sim mas com orgulho
fazemos a nossa parte procuramos melhorar nosso mundo
toc toc toc estou chegando em casa
curtição foi da hora é alta madrugada
minha coroinha vem me receber assustada
e me diz filho ontem teve várias rajadas
já sei mãe a polícia tá na quebrada
várias mães devem estar desesperadas
no dia seguinte a notícia chegou a tona
marcas de balas pra todos os lados
esses filhos da puta fardados
fizeram da vila uma verdadeira zona
não dá pra aturar
ver os irmãozinhos se foder e se atolando na bosta
teoricamente me refiro às drogas
me tiraram a paz quebraram a trégua
transformaram nossa vila num campo de guerra
baseado em fatos reais
que acontecem não só na zona leste de são paulo
mas em todas áreas pobres das grandes capitais
com palavras florindo
detentos do rap nesse mundo cão
vai se saindo
me tiraram a paz quebraram a trégua
transformaram nossa vila num campo de guerra





Tem erros na letra? Clique aqui para corrigir


Esse video não é dessa música? Clique aqui para nos informar

Veja mais letras e videos de

Detentos do Rap





Publicidade



Rap Nacional? Tá no lugar certo! © 2011 Rap Na Veia. Design originalmente por: spyka webmaster (www.spyka.net) XHTML e CSS validados

Feedback Form