João Ninguém (Part Eduardo Facção Central)

Grupo: Detentos do Rap
Álbum: O Juíz + Justo é o Tempo
Ouça o som:   tocar tocar tocar



[intro]
...

[som]
Enquanto o céu sorri, a rua arranca os seus pedaços
o medo uni mais que a coragem, é fato eu acho
quem quer vencer, não vai pensar em piedade
anda descalço chora, desconhece o amor e a verdade
ah e nunca esquece, a lição aprendida na dor
que pra degustar a vitória às vezes é preciso matar o amor
oh só, o primeiro trampo, parece um sonho, da hora
com uma moeda no bolso sem precisar apelar pra pistola
e nem ser superman pra voar de R1
mas cheio de orgulho em conviver com os homens em comum
em meio a ostentação o tráfico o luxo o Nike o ferro
aceitar que Deus e a escola é o caminho certo no mundo moderno

Ele tem paz, amor e muito mais
com muita fé em Deus dizia algo em mim jamais (4x)

De cabeça erguida ele sai, vai atrás
sem medo de nada
recolhendo o que sobrou, que restou, do fio da espada
batalha íntima travada no seu coração
entre o João Ninguém do mundão, o mocinho e o vilão
liberdade é o que todos querem, ele também
mas sem conflito consigo já divido, entre o mal e o bem
começa a perceber que a vida passa rápido, voa
e que a paz é preciso, demais é egoísmo
e tudo demais enjoa

"ou mais tá foda hein, puta que pariu
os mano até mesmo fala que eu sou bobo de mais e tal
tem que correr atrás, mas puta com fé em Deus que vai melhorar
ainda, puta vai melhorar"

De cabeça erguida eu andei, procurei
encontrei maldade sozinho paguei
nadei, com os tubarões da cidade
hey pensei, que é uma recompensa, por cada espinho
mas não me conformei senhor, falhei
errei meu caminho
quem valoriza como eu em primeiro a família
não vai ser refém do sistema sim a própria guerrilha
entre becos e vielas o arsenal vai além
por Deus que eu tentei, mas não morrerei
como um João Ninguém
hoje pra família um herói, pra Deus um filho
pro sistema um João Ninguém pro opressor um inimigo

"meu Deus que porra é essa, 34 anos não tenho um ap do CDHU, nem um fusca
já pensou nisso mano? Um filho da puta que não sustenta a própria família
eu quero que o mundo se foda, a partir de agora vai ser assim oh"

Resolvi mandar, o DVD pro empresário
com o filho gritando enquanto o mindinho é amputado
cansei de passar, por baixo da catraca
fazer teste pra gari e ter a ficha reprovada
não vou ser o artista circense fazendo malabarismo
no picadeiro que o público... fecha o vidro
nem roubar placa de trânsito pra vender no ferro velho
abrir cova pra catar, dente de ouro no cemitério
sem USP, sem medir a relação custo x benefício
não vou cair por 100 pagar 5 mil pra sair do presídio
a Asia com educação tirou 500 milhões da miséria
aqui é morte por arma de fogo o rank que o Brasil lidera
número repetido no quadro olímpico
porque os atletas são ossos no cemitério clandestino
em 15 segundos que o crack apaga da memória
que meu filho é gerente em potencial, do tráfico de drogas
que no meu teste vocacional aptidão: cirurgião
mas no hospital sou queima de arquivo de outra facção
a pá que enterra o juíz na rua arborizada
que faz promotor suar, sangue na sauna
quando minha mina engraviou, ela e o nene não tomaram brica
põe etiqueta no dedão pra ele ser o milésimo de alegria
na seccional de Santo Amaro outro João Ninguém
mas no caixão o corpo com honra o único bem o que homem tem

Cade a paz? Amor não existe mais
o que o mundo me ofere já não me satisfaz (4x)





Tem erros na letra? Clique aqui para corrigir


Esse video não é dessa música? Clique aqui para nos informar

Veja mais letras e videos de

Detentos do Rap





Publicidade



Rap Nacional? Tá no lugar certo! © 2011 Rap Na Veia. Design originalmente por: spyka webmaster (www.spyka.net) XHTML e CSS validados

Feedback Form