Sujeito de Sorte

Grupo: Diga How
Álbum: [Desconhecido]
Não há video para essa música



Jonh, Magú, GOG

São várias, pequenas coisas que te deixam feliz
Pequenos detalhes que escapam por um triz
Presentemente eu considero-me um cara de sorte
Não tenho dinheiro, mas tenho ainda um longo norte
Com mais um ano pela frente, é isso que me faz viver
E defender a ideologia, o Hip Hop até vencer
Construa sua vida, mas de forma diferente
O melhor pra sua família, pro seu povo, pra sua gente
Em frente, sempre, sempre, pisando em ovos
O trajeto é gigantesco, mas temos caminhos novos
Um degrau de cada vez, é claro, que é pra crescer
Humildade e verdade, cê sabe, não pode esquecer
Perder a essência, pra mim não é uma opção
Nasse mundão tão diverso, cheio de separação
Enquanto alguns se acabam comendo o melhor da festa
Com um pouquinho eu sobrevivo, caminhando sem pressa
Não presta ação que tenha pouca emoção
Mais do que nunca eu tô agindo com o coração
Na intenção de construir um mundo um pouco melhor
"Influindo na cabeça dessa gente, sem dó"
E não tô só, tô junto com os irmãos nesse pleito
Não sou Tarzan, mas grito alto e bato no peito
Fazer bem feito o trabalho pesado do dia a dia
Matar um leão de cada vez e defender minha cria
João e Artur, razões do meu viver
Morri ano passado, mas neste não vou morrer
Vou ter a companhia certeira da minha ralé
Até depois do fim, é Diga How na maior fé!
Pois é, assim que faço a vida, assim que fico forte
Se ano passado caí, agora sou sujeito de sorte
Num poste, de dia, ouvi o Supremo me falar
Que a vida vem com um objetivo e o meu dever é encarar!

REFRÃO

"Tenho sangrado demais, tenho chorado pra cachorro;
Ano passado eu morri, mas esse ano eu num morro!" 2x


Um novo ano,uma nova fase,é um recomeço
Promessa de mudança,mas não de endereço
Qualquer tropeço é um desafio,um objetivo
Pra dar sequência na rima e continuar vivo
Motivo você tem de sobra pra seguir em frente
Se tem saúde,tá valendo,fortalece a corrente!
Cê quer que tudo dê certo, pra você e pra sua família
Pros seus amigos,no seu trampo,pra sua pretinha
Mas na verdade o bicho pega na hora da luta
E desistir é mais fácil do que enfrentar a labuta
Mas coração de guerreiro,filho de David
Mata um golias por dia,e não vai sucumbir
Só que aí,num tô dizendo que tá tudo uma maravilha,não
Ainda sofro por dentro,ainda sangro,irmão...
Ainda tenho muitos pingos pra botar nos "is"
Ainda tenho algum mal pra cortar até a raiz
Eu sempre quis ser feliz esperando o ano seguinte
Mas percebi o que meu inimigo íntimo omite
Querer colhêr no futuro sem viver o presente
É a mesma coisa que plantar e não regar a semente
Frequentemente eu vejo gente que reclama a dor
Gente que sente pavor,desse clima de horror
Gente que esquece de viver,de estender a mão
Gente que sofre de montão por antecipação
É uma questão pra refletir se essa atitude é sensata
Sei que ninguém é de ferro e o sangue não é de barata
Mas o que mata é a omissão e a falta de tentativa
O que adianta almejar sem iniciativa?
E eu vou seguindo a estrada colecionando pedras
Mais um sujeito de sorte pra combater nessa guerra
Quero estar vivo e com saúde pra prestar socorro:
Ano passado eu morri,mas esse ano eu num morro!

REFRÃO 2X

Outro dia num show, um muleque chegou e falou
Que adorou, queria ser cantor, perguntou:
"Como você escreve, qual inspiração?
Cria primeiro a rima, a base , o refrão?"
Olhei, chamei, sentei, conversei
Toda atenção, minha opinião eu passei
Foi quando ele sacou e mostrou uma letra
Sua primeira letra, perfeita!
E cantou, cantou com estilo e alegria
Euforia, era sua carta de alforria
Vi nos seus olhos, o brilho de Adílio
O jogador que driblou o martírio
Nos seus passos a firmeza de Usain Bolt
No seu coração muita energia, mil volts
Recorde imbatível da força de vontade
Começou escrever com doze de idade
Alfabetizado aos onze, na raça
Ouvido rap numa fita cassete na praça
Eu, me considero um sujeito de sorte
Poder passar ensinamento pra frente é um dote
Um dom, exercitar o lado bom
Ganhar o prêmio após preencher o cupom
Quem não quer, dar olé, de pé ser aplaudido
Falar, escrever, expressar e ser ouvido
Digno de alimento nutritivo no almoço
Din-din pra ir e vir guardado no bolso
Não dar motivo pra o negativo
Isso sim pra mim é ser subversivo
O grande Ghandi se inspirava nisso, fez revolução
Sua greve de fome libertou uma nação
Sem noção, o que vai acontecer
Quando descobrirmos o nosso poder
Que o palco é artifício, uma armadilha (trilha)
Pra molecada colar, aprender a cartilha
Sim, sou professor, às vezes um doutor
Precurssor, alguém que acreditou
Faz parte da arte, do processo
Visão coletiva é pagar ingresso
Tem certas coisas que eu não peço
Diga How, Diga How - chegou a hora de colhêr progresso!

REFRÃO 3x





Tem erros na letra? Clique aqui para corrigir

Veja mais letras e videos de

Diga How





Publicidade



Rap Nacional? Tá no lugar certo! © 2011 Rap Na Veia. Design originalmente por: spyka webmaster (www.spyka.net) XHTML e CSS validados

Feedback Form