Filmando O Movimento

Grupo: Extremo X
Álbum: [Desconhecido]
Ouça o som:   tocar tocar tocar



To filmando o movimento (3x)
Ae vagabundo, daquele jeito

Sentado na esquina
descalso sem camisa
filmando o movimento, é foda essa vida
Opala preto passa o clima, tá estranho
os cu dentro do carro fica me encarando
não passa muito tempo os canela enquadra
levei só borrachada uma pá de tapa na cara
mas se você quer saber, esses coro não abala
se fosse na madruga ia levar uma pá de bala
to muito machucado, polícia desgraçado
esses dia eles bateu no tio, embriagado
ele acha que eu gosto de viver traficando
ele acha que eu gosto de ver minha mãe chorando
muitos não sabe o que é a miséria
por isso não conheço os coração dos favela
é muito congelado, sério, mal encarado
julgado marginal consagrado favelado
eu vivo na esquina minha escola é a rua
aprendi as verdade que existe crua e nua
que não existe amizade, existe a inveja
que na trairagem muitos mata por ela
desconfio de você, desconfio também dela
não confio em ninguém só em Deus, e na minha véia
esse é meu jeito ai, só fica naquela
estilo pit-bull se falar "pega" já era
estão cê tá ciente, não pago de comédia
minha coroa sabe quem é o filho dela
aqui sobe as vielas, fazendo movimento
de repente é só pipoco, choro e lamentos
caixão vela flores ih, a vida é dura
é mais um que morre com um tiro na nunca
mas não fujo da luta que pra mim tá perdida
to sendo procurado por bandido polícia
não sei o que fazer, ando muito assustado
a minha véia falou, que invadiram meu barraco
que o dinheiro do tráfego o polícia levou
e o chefe quer o dinheiro a minha véia falou
que os canela saiu, e depois ele chegou
dizendo: cadê os malote que sou filho deixou?
ele tava irritado, tava fora de si
e tudo que ele queria é que eu tivesse ali
minha véia falou: cuidado, foge daqui
a notícia ele falou que ia chegar que eu morri
to cantando o horror, porque o horror eu vivi
o coração não é de carne vou narrar o que ele diz

Refrão:
meu coração de pedra só tem ódio pra rimar
(vida é sofrida, mas não vou chorar)
meu coração de pedra só tem ódio pra rimar
(viver de que? não vou me humilhar)

No beco ou na favela vou vivendo a guerra
a vida é loca nessa selva de pedra
eu vivo o perigo num 12 nervoso
a rua é meu hospício então segura esse louco
que não mede esforço pra poder sobreviver
a lei o crime é matar ou morrer
defendo meu espaço com unhas e dentes
se cruzar o meu caminho, tristeza pros parente
não vivo contente o coração é de pedra
também quero dinheiro pra gozar nessa terra
a noite tá quente o movimento vai bem
de olho em quem vai e ao mesmo tempo quem vem
nas rua e nas laje os moleque passa um pano
se os polícia aparece, cada um pro seu canto
ninguém tá a fim de pagar simpatia
ou muito menos passar anos e anos na ilha
por isso eu faço a minha sem crescer na de ninguém
olhe nos meus olhos e me diz quem é quem
a noite também esconde muita maldade
quando viu já foi jhow, só resta saudade
amizade nesse mundo infelizmente não tem
amigo é o dinheiro é uma nota de 100
no rap eu vou além vou mostrando quem sou
na noite de São Paulo vou vivendo o terror
porque...

Refrão

Pele e osso tatuado
olhando pros dois lado
os olhos estalados, parece assustado
esse é o movimento, conheço a lei do cão
aonde quem vacila os miolo vai pro chão
a cena é real, aqui não é TV
o jornal que a gente tem, não é pra gente ler
é pra cobrir o irmão que se encontra baleado
a vida é desse jeito boyzão, tá assustado?
é muitas intriga, desacerto confusão
os moleque tão matando os próprios pais o próprio irmão
no sofá a madame, tá sendo roubada
com o filho ao redor, amarrado na sala
ele quer os brilhante, as jóia que é rara
se não facilitar a paciência acaba
não tive escolha, tive que me envolver
meu telhado é de goteira vi demais minha mãe sofrer
falar de alegria então, é difícil
eu tento escrever e confesso não consigo
sentimento é sofrido, coração é de pedra
vou narrar o que ele diz que é o choro da favela
maluco que não gela, parte pro arrebendo
e se tiver que vencer, vai vencer, daquele jeito
metendo os cano, metendo facada
metendo na cara do boy a coronhada
fazendo a sua vida um tormento virar
endoidando a ainda mais a vida loca crema
o bagulho é desse jeito a tendência é piorar
to filmando o movimento Rafa, vou me jogar
porque...

Refrão





Tem erros na letra? Clique aqui para corrigir


Esse video não é dessa música? Clique aqui para nos informar

Veja mais letras e videos de

Extremo X





Publicidade



Rap Nacional? Tá no lugar certo! © 2011 Rap Na Veia. Design originalmente por: spyka webmaster (www.spyka.net) XHTML e CSS validados

Feedback Form