Libertadores

Grupo: Face da Morte
Álbum: Face da Morte 12 Anos
Ouça o som:   tocar tocar tocar



Primeiramente um bom dia pra nóis
a selva é de pedra e os leão são feróz
é um por dia, é o sol brilha
vem colorir a américa latina
do mar caribenho ao sul da Argentina
milhões trafegando feito formiga
no céu águia linda azul e branca
o demônio do trono da casa branca
beco, viela, morro, favela
indústria e miséria em cores na tela
quebrada, chacina, polícia, perícia
pobre e preto só vira estatistica
Capão Redondo, Afeganistão, Rocinha, Iraque
tanto faz, jão
não passa de informe em reunião da ONU
tráficoo humano, descaso, abandono
xuxalização, geração, malhação
aqui é o contra-ponto em forma de canção
o pior ladrão é o ladrão de esperança
Face da Morte cantando a cobrança

Hermanos, hermanas
de manos dadas marchando
la espada, ---- caminando
libertadores de la america somos
Pancho Villa, Zapata
e Zumbi de los Palmares
libertad a lo latino americano
cantando e luchando

latino americano, sem dinheiro no banco
herdeiro eu não sou, só mais um do interior
sem parentes nem -------
estilo, é o pior
aliado G nem melhor ou pior
criança pobre sem playcenter (iiiiii) Hop Hari
realidade dura, rara oportunidade
role com a mamãe, só doente vai ao médico
na esquina a alegria, coca e um kibe no buteco
de Tóquio a Nova Iorque, Gaza a Sibéria
Quebec a Pequim a desigualdade impera
a criança olha a vitrine, a mãe arrasta é pela mão
prioridade zero é arroz com feijão
diferente do Wall Street ou Miame Beach
castelos medievais onde se hospedam a elite
bem vindo à ocasião, lagosta, salmão
um francês boa safra completa a sugestão
um brinde aos senhores das armas, da guerra
globalização, vai destruindo a terra
genocídeos bolados, dentro do pendágono
o alera mundial, quem será o próximo alvo

refrão

quanto é que custa mesmo o tal sono americano hein
ganância imperalista é maior que o ser humano
sob a alegação de exportar democracia
aviões combate matam criancinhas
explosões em Cabul e Badgá
xiitas, sunitas, al qaeda, Resbola
Tutsi e Hutu, matança em Ruanda
belgas, franceses, primeiro mundo banca
as veias abertas, mãe áfrica sangrando
há séculos o mundo inteiro amamentando
quilombo de palmares um grito de liberdade
ecoando até hoje por terras, céus e mares
tanta opressão vai gerando reação
o crime se organiza em forma de facção
MST no campo, ocupação, produção
Na cidade o Hip Hop
arrasta multidão
fossas populares na américa, ascensão
a ilha tá de pé, Cuba sim, Yankes não
viva lá revolución
----------
aqui é FDM contudência
não discurso

refrão

refrão





Tem erros na letra? Clique aqui para corrigir


Esse video não é dessa música? Clique aqui para nos informar

Veja mais letras e videos de

Face da Morte





Publicidade



Rap Nacional? Tá no lugar certo! © 2011 Rap Na Veia. Design originalmente por: spyka webmaster (www.spyka.net) XHTML e CSS validados

Feedback Form