Agora é Nossa Vez

Grupo: Gugão
Álbum: Pra não dizer que não falei dos podres
Ouça o som:   tocar tocar tocar



(Fala)

É... como diz meu amigo helião:
Palavras são apenas palavras,
Mesmo que revolucionárias não mudam nada!
Ainda mais da boca de cão que muito ladra...
Revolução armada?
Então, cadê as armas???

(Poema)

Olho em volta e o que vejo são memórias,
Que me guiam, me confundem, se misturam, me sufocam
São pedaços de um passado, de um futuro sonhado,
São os olhos as janelas pra alma.
São histórias contadas por um rei decapitado
Ou um soldado que obedece e é honrado
Me distraem me inspiram, me faz fugir a rima
Pobre ou rica, rara ou simples, é o seguinte:

(RAP)

Todo mundo sabe alguma coisa demais,
Mas não quer tentar saber, nem um pouco de algo mais
Se limitam ao tentar se definir,
É como se o mundo fosse só o seu mundim!
Xííí... Se liga cumpadi que o buraco é mais embaixo,
Somos sempre aprendizes e donos dos nossos passos
Suas escolhas são escolhas, e não imposição,
Não há preconceito e nem amarras que vençam disposição
É escolha sua ser ou não seu próprio inimigo,
Sua mente é a arma mais potente eu te digo:
Navegar é preciso, viver é impossível,
Aqui na selva de pedra em meio a chuva de tiros
Todo dia tem tragédia na manchete do jornal,
Ou ao vivo no sertão e nas filas de hospital,
Por isso eu digo, meu amigo, bote pilha na cabeça
Que quando o bicho pegar, o bonde já vai ta firmeza!

O profeta já previu, falou sem meias palavras,
A revolução não será televisionada!
E muito menos folheada, a ouro ou diamantes
Será feita por quem tem cravada a justiça no semblante
E pra viver feliz aqui, tem que ser indiferente
Com as coisas que acontecem embaixo do nariz da gente
Direto do cerrado tentando mostrar o meu ódio,
Eu me apresento, pro sistema, meu nome é incomodo sonoro!


Enquanto o pensamento dos humanos for assim
Não adianta, nunca haverá meio e nem fim
Só princípio, enquanto os homens forem seus coiotes,
Não haverá galinha a salvo nem no mais remoto norte
É por isso que eles gastam com pesquisas espaciais
Cem vezes o necessário para promover a paz
É pra fugir, pra longe do planeta em extinção
E salvar a sua linda bunda branca, seu CUZÃO!
Você já ta lá, tem tudo pra ajudar,
Mas só atrapalha e diz que tudo vai mudar,
Promete, promete e é só enrolação
Agora senta, é a nossa vez, segura o rojão!

O profeta já previu, falou sem meias palavras,
A revolução não será televisionada!
E muito menos folheada, a ouro ou diamantes
Será feita por quem tem cravada a justiça no semblante
E pra viver feliz aqui, tem que ser indiferente
Com as coisas que acontecem embaixo do nariz da gente
Direto do cerrado tentando mostrar o meu ódio,
Eu me apresento, pro sistema, meu nome é incomodo sonoro!

Faça o bem sem olhar a quem, nem ter um porque,
Pregação cristã, que não parece valer ?
-- Nada na comunidade, católica atual
O capitalismo corrompeu, toda forma de moral
Agora é só guerra, e vence o mais munido
Com aulas de mestrado e horas extras no serviço
O currículo de um gari tem que ter PhD,
Onde foi parar o mundo em que dava pra viver?
O engraçado é que eu to me fudendo pra religião,
Sem ler a bíblia eu sigo à risca os passos de um bom vivão:
Paz, fraternidade, luta, amor e união
As palavras que ecoam como tiros de canhão
Para os fortes, opressores que querem silenciar
E manter covardemente esse sistema secular
No qual pra alguém ganhar, outro tem que se fuder
Aqui só manda grana, droga, bala e poder!

O profeta já previu, falou sem meias palavras,
A revolução não será televisionada!
E muito menos folheada, a ouro ou diamantes
Será feita por quem tem cravada a justiça no semblante
E pra viver feliz aqui, tem que ser indiferente
Com as coisas que acontecem embaixo do nariz da gente
Direto do cerrado tentando mostrar o meu ódio,
Eu me apresento, pro sistema, meu nome é incomodo sonoro!

O profeta já previu, falou sem meias palavras,
A revolução não será televisionada!
E muito menos folheada, a ouro ou diamantes
Será feita por quem tem cravada a justiça no semblante
E pra viver feliz aqui, tem que ser indiferente
Com as coisas que acontecem embaixo do nariz da gente
Direto do cerrado tentando mostrar o meu ódio,
Eu me apresento, pro sistema, meu nome é incomodo sonoro!





Tem erros na letra? Clique aqui para corrigir


Esse video não é dessa música? Clique aqui para nos informar

Veja mais letras e videos de

Gugão





Publicidade



Rap Nacional? Tá no lugar certo! © 2011 Rap Na Veia. Design originalmente por: spyka webmaster (www.spyka.net) XHTML e CSS validados

Feedback Form