Pra Não Dizer Que Não Falei dos Podres

Grupo: Gugão
Álbum: Pra não dizer que não falei dos podres
Ouça o som:   tocar tocar tocar



Manchete do dia, extra, capa de jornal,
Filha que matou a mãe é presa no pantanal
Na página seguinte mais um pouco de horror
Uma longa estiagem atingiu e devastou
Mais de metade do sertão, e sua população,
Mais umas linhas e uma foto minha, no camburão:
Por fumar um baseado, fui fichado e humilhado,
Preso como um bandido, algemado, encarcerado,
Assinei um TCO, prestei comparecimento,
Tanto gasto do Estado por conta de um pensamento
Antiquado e imposto a força pra sociedade
Maconha não é droga, legalizem a liberdade!
O mundão desandou, quem era bom se deturpou,
E os valores se perderam em meio ao furacão de horror
Avalanche de pesadelos, megatons de ondas sonoras
Abalando as estruturas dessa sociedade hipócrita!

Prontos pra paz ou pra guerra nós ainda estamos vivos,
Quem é função não gela, enfrenta o inimigo.
Se tentar parar o bonde, cê vai ser atropelado,
E o opressor se esconde quando ouve o meu chamado!

Ignorância e desrespeito prevalecem em Goiânia,
Mais um réu, mais um preso, mais um corpo na ambulância
Mas não é só aqui em gyn, a bagunça ta geral
O Distrito Federal já virou zona, bacanal!
O ladrão do central ta cheio de dólar na cueca
E a CHOQUE me batendo pela "dola" na cueca
País da desigualdade, vê até quem não quer ver,
Que com o controle na mão o controlado é você!
Dizem que música que presta é Sandy & Júnior e Latino,
Que o Rap Nacional é de ladrão e de bandido
E você ouve o dia inteiro tech rap americano,
Que diz pra sua filha virar PUTA de malandro.
Só ostenta e nunca tenta fazer nada pra mudar,
Prefere que todos pobres morram mesmo de AK,
Mas se esquece que a fortuna do seu pai, que é empresário
Vem da ralação diária de quem ganha só um salário!

Prontos pra paz ou pra guerra nós ainda estamos vivos,
Quem é função não gela, enfrenta o inimigo.
Se tentar parar o bonde, cê vai ser atropelado,
E o opressor se esconde quando ouve o meu chamado!

Quando lanço meu chamado sei que muitos vão escutar,
Clamo a união dos manos que tão prontos pra matar
Ou pra morrer, se assim tiver que ser...
QUEM SABE FAZ A HORA E NÃO ESPERA ACONTECER!
Careta ou maconheiro, pagodeiro ou metaleiro,
Roots, trance, rap, hip-hop ou haxixeiro
Não importa a sua cor, não importa a sua crença
Se for pra somar pode chegar, faze a cabeça!
Vamo reclamar e botar ordem nessa casa,
Não é certo apanhar da polícia por uma brasa!
Levante sua bandeira, mano, você tem poder
O governo te oprime e você finge que não vê!
Te tributam pra caralho e gastam o dobro do outro lado,
Metem a mão no seu salário e enfiam no CÚ de um empresário
Então se arme de coragem, enfrente o inimigo,
Minha mente é a arma e o rap o caminho!

Prontos pra paz ou pra guerra nós ainda estamos vivos,
Quem é função não gela, enfrenta o inimigo.
Se tentar parar o bonde, cê vai ser atropelado,
E o opressor se esconde quando ouve o meu chamado!
Prontos pra paz ou pra guerra nós ainda estamos vivos,
Quem é função não gela, enfrenta o inimigo.
Se tentar parar o bonde, cê vai ser atropelado,
E o opressor se esconde quando ouve o meu chamado!





Tem erros na letra? Clique aqui para corrigir


Esse video não é dessa música? Clique aqui para nos informar

Veja mais letras e videos de

Gugão





Publicidade



Rap Nacional? Tá no lugar certo! © 2011 Rap Na Veia. Design originalmente por: spyka webmaster (www.spyka.net) XHTML e CSS validados

Feedback Form