Preto Mil

Grupo: Império Z/O
Álbum: Na Corte do Diabo
Não há video para essa música



?Se liga aí, acorda preto ou negro como queira, o tempo é curto e o objetivo é longo, faz a sua correria, levanta, sacode a poeira, dê a volta por cima pra depois não se lamentar, pare de se julgar o coitado, o resto do mundo, que é discriminado e coisa tal, seja um preto ambicioso naquilo que faz, queira sempre mais, mais e mais, porém, nunca se mate por bens materiais, aí, respeite a raça oposta não vamos generalizar, pois do outro lado uma rapa pode se salvar, se liga, lute apenas por seus direitos e nunca pelos direitos iguais, pois se formos semelhantes á eles, qualquer filho da puta vale mais, aí sangue bom, ideologia preto 1000 em ação?.

Uil, Uil, Preto 1000,
Uil, Uil Preto 1000.

Refrão:
Não basta ser 10, tem que ser 1000,
Seja a preta 1000, seja o preto 1000,
Não basta ser 10, tem que ser 1000,
Seja a preta 1000, seja o preto 1000.

Não basta ser, tem que ser,
Não basta ser, tem que ser,
Não basta ser, tem que ser,
Preto 1000 tipo A disparando pra você.

Vou á mil colando os preto 1000,
Do cú do mundo vai pra todo Brasil,
Ligeiro, ligeiro tipo pé na tocha,
Pra trincar, não rachar, defendeu mano Roxum,
Guerreiro de fé, soldado ambicioso,
Então vai, sai do oco,
Sem, sem, mais, mais, nem me viu, nem me viu,
Até de baixo dá água honro o cabelo bombriu,
Na casa do cacete, na puta que o paril,
Aqui é o verso do meu povo que caiu no funil,
Mergulhando na moda, maquiando seus traços,
Escondendo a cara preta, se pintando de palhaço,
Do seu pai da sua mãe eu só tenho dó,
Não trinca na goma, não segura os BO,
Quer andar igual, quer pagar um pau,
Playboyzinho põe espelho pra Patrício irracional,
Camisa de 1 real etiqueta de um milhão,
Caranga pra desfile mais 50 prestação,
Vai todo bonitinho tipo viadinho,
De lá pra cá de FORD-K,
Nem merda no cú tem pra cagar,
Vê se acorda e se joga,
Proceder, atitude, resgatar a negritude,
O vagabundo do morro não se ilude,
Do que vale o argumento negro 100%?
Se é pra rebolar o rabo eu lamento,
Atitude é o que interessa, teoria deixou brecha,
Vê se emplaca preto 1000 na testa,
Vê se emplaca preto 1000 na testa,
Vê se emplaca preto 1000 na testa,
E aí, onde tá você, até quando eu vou ver,
Aquelas vacas loiras rebolando na tv,
Defendendo o próprio corpo como em Cina Privê,
Pra craque da seleção casar e depois pagar o cachê,
Mas aí vou falar, nem quero pensar,
Se tiram as vacas loiras e põe as pretas no lugar,
Não, não, desliga isso não é Brasil,
Da música baiana de Betânia ele já foi Gil,
Quero ver do lado leste só preto 1000,
Quero ver do lado sul só preto 1000,
Quer ver do lado norte só preto 1000,
E do lado oeste só preto 1000,
RJ, SP, favela é poder pra todo o Brasil.

Refrão

Fui, fui, se joga, se joga,
Passa o pano pra frente, passa a bola,
Vou jogar uma carga pro Patrício se ligar,
Nosso povo é maioria onde você está?
Se toca, se toca, mano sai da toca,
Fazer acontecer, anoitecer, aparecer,
Bem mais rápido que um disparo de calibre de PT,
Pow, pow, pow só pra você,
Você vai agüentar Office-boy na moral,
O preto que cata lata e limpa festa de praça,
A mãe do seu pivete catando papelão,
Fazendo os adianto do seu ganha pão,
Se liga na fita ó, mó sufoco,
Diferença social ó mundo louco,
Preto 1000 o esquema tático,
Esquadrão da rima virando livro didático,
Retornando o posto louco sistemático,
Doido, doido, tipo lunático,
No PUM-PUM-PÁ da viagem,
Uil, Uil o rap é a passagem,
É a doze, a granada, é a uzi,
Senzala do gueto com use e abuse,
Do arsenal ideológico,
Contra o crime da elite só no psicológico,
Veja bem por onde anda, pise na moral,
Tem neonazista no planalto pra te dar um cambal,
A burguesia que esnoba escracha a sua conduta,
Aqui é bola da vez estilo na sinuca,
E o sistema dá o bote, arma a arapuca,
Corno, arrombado, filho da puta,
Estão querendo amputar o raciocínio da favela,
A qualidade do ensino dos becos e vielas,
Burro e burro pra eles bem melhor,
Pra te socar e manipular sem um pingo de dó,
Foda-se preto a sua pobreza,
Daí é que sai o seu castelo de riqueza,
Se liga só no bonde, no bonde,
Onde está uma par de mina que a nobreza esconde,
No mendigo debaixo da ponte, no pretinho no calçadão,
O preto sendo enquadrado levado pra detenção,
Dos barracos da favela que cresce em grande extensão,
No pedido de esmola que se enverga na cola,
Essa é a pobreza que os barões de hoje adoram,
Essa é a pobreza que os barões de hoje adoram,
Convido á todos pra se levantar,
Pra dar a volta por cima e mandar a poeira pro ar,
Dou seqüência na trilha, no amargo do fel,
O efeito é bumerangue, vai e vem carrossel,
O que tiraram de nós ó boy vai voltar,
Maluco sai da frente, preto 1000 vai decolar,
É nós, é nós a esperança e a voz,
Destaque, destaque, manchete,
Chegando no impulso na defesa oeste,
Quatro pontos cardeais, vários lugares,
Força divina pra remar nos sete mares,
Há, há, há sobre o patamar,
Do alicerce ao pódio do primeiro lugar,
O gol de placa, o exemplo da raça,
O tumor maligno naquele que te ataca,
A potência no racista pra não progredir a raça,
Racismo a doença hereditária,
Que só dá naquelas vacas milionárias,
No berçário do Brasil alguma puta paril,
Se for herdeiro de rico que morra em estado febril,
Raciocínio forte, império código de morte,
C ponto M viu, viu,
Até o rei da bola vai tirar a camisa 10,
Pra vestir camisa 1000.

Refrão

Não adianta chorar,
Não adianta gritar,
Se não tiver proceder e atitude não adianta,
Se não tiver proceder e atitude não adianta,
E fui caminhando consegui encontrar,
Meu povo tem o seu valor,
Preto 1000 Império Z/O chegou implacou,





Tem erros na letra? Clique aqui para corrigir

Veja mais letras e videos de

Império Z/O





Publicidade



Rap Nacional? Tá no lugar certo! © 2011 Rap Na Veia. Design originalmente por: spyka webmaster (www.spyka.net) XHTML e CSS validados

Feedback Form