Sem Regras

Grupo: Latro
Álbum: [Desconhecido]
Ouça o som:   tocar tocar tocar



A consequência que gera consequência,
Aos internos, aos externos, aos antigos , aos modernos
Aos corações pertencentes as ruas, eu sou mais um, sentimento bélico,
Correndo risco, gerando risco l.a.t.r.o. (latro)
Seguir as leis onde não existem regras em cada esquina não sei o que me espera.
Ai me lembro dos cara que aqui já era, e dos parceiro guardado que nem fera.
Dentro da celas a vida não se entrega, na minha mente eu guardo a seqüela
Daquela noite, o crime e o açoite, o cativeiro, a pistola, o oitão no coudry.
Sonhar com um som uma plasma lcd, uma carreta mais ou menos e um dvd
Não muito luxo, pra não ficar no escuro, sem ostentação pra não cair do muro.
Assim se recupera oásis no deserto, revólver que masca um tiro no cérebro.
Nas entre quadra, um brinde aos camaradas entre o aço e o concreto hè nas novas casas.
Sempre na defesa dos menos favorecidos latro chegou com verdade aos destemidos.
(pode crê) só vai restar a paz, pra não subir seu gás, segundo mandamento na lei dos marginais.
Tem gente que reclama mas nunca faz um corre, tem gente que se acha e rapidinho morre.
Fazer o mal ai a um certo preço, ficar na sintonia não sei se mereço.
É complicado, esquisito, rochedo bruto, porque aqui não se pode deixar furo.
Certa vez eu conheci um camarada, moleque loko barra pesada,
Várias madrugadas vi sua mãe chorando preocupada, calada sempre nos cantos.
Chegou o natal, dingobel pra você, família unida e os camarada sempre de proceder,
Curtia um som, cantava até uns rap, moleque bom a gente nunca se esquece.
Apenas estremesse a lembrança do caixão, santa maria valeu cachorrão.
Genética do crime por aqui quem planta quem
A fome na favela ou seu filho de refém
Dificil né, viver nos madeiriti, por isso é tão fácil entrar no crime.
(refrão) (2x)
Seguir as leis onde não existem regras,
Em cada esquina não sei o que me espera.
Me sustentar, me adiantar e não me atrasar,
E um latro eu não tô afim de ensinar.
Pra que fugir se o meu ego me proporciona abrigo,
Pra que parar quando com medo mesmo eu prossigo,
Pra que mentir que me engano pra quem não tá comigo,
Por que chorar na lágrima de quem chora contigo,
Por que você, se hoje existe plasma lcd,
Por que o amor se hoje tem dinheiro pra vender.
Não vou sofrer se sua dor pode me esconder, por que seu chassi vale mais do que meu rg
Mundo de quem hein, mundo de quantos, mundo de tantos
Mundo de ninguém, mundo prantos, mundo de enganos.
Mundo de vários armados e poucos guerreiros,
Lugar de fraco onde até os mais fortes sentem medo.
Isso pra quem assistiu a própria estréia de perto,
Que da a vida pelo certo, mesmo não estando certo.
O correto é o segredo de onde vem o shandelli, e o adidas sonhado da polyelle.
Eu nem me vejo com uma prestação da hilux por mês, de sapatênis e camisa xadrez.
Sou de um intusiasmo, atrás do outro é desse jeito
De 4 - 100 san german e jaco preto, seduzido pelo click clack, da tools pelo bom back da quina pelo malote do bdb
Bem perseguido pelos hightech no asfalto eu sou um moleque que rima e faz é tempo que eu pago pra ver.
(refrão)(4x)
Seguir as leis onde não existem regras,
Em cada esquina não sei o que me espera.
Me sustentar, me adiantar e não me atrasar,
E um latro eu não tô afim de ensinar.





Tem erros na letra? Clique aqui para corrigir


Esse video não é dessa música? Clique aqui para nos informar

Veja mais letras e videos de

Latro





Publicidade



Rap Nacional? Tá no lugar certo! © 2011 Rap Na Veia. Design originalmente por: spyka webmaster (www.spyka.net) XHTML e CSS validados

Feedback Form