Toca Na Cara

Grupo: Latro
Álbum: [Desconhecido]
Ouça o som:   tocar tocar tocar



É não posso reclamar de nada né , fazer o que eu fiz por onde isso aqui, então eu mereço isso aqui toca na cara revolver na mão que situação hein, nunca imaginei me ver dessa maneira, agora já era.
Há seja o que Deus quiser,
catei a nove fui de encontro com a sorte na cena 10 mil reais no cofre ou na bura um par de algema eu indeciso entre a fome e a dor da cela indeciso entre a grana e a morte de outro louco da favela eu vou injuriado nas ruas de terra entre tijolos vermelhos e maderite velho essa é minha quebra com cada tia que chora de canto eu choro por cada canto do morro eu canto é nego eu ja aprendi quem eu sou de pistola cruzando o asfalto tomando de assalto a necessidade falo mais alto vim do clã Vietnam, Brasil periferia , há há escalado pra guerra por mais um dia , toca na cara montado na bala volto pra casa penso, impondo a todos o nosso valor tô aqui por amor num é vaidade nego, mais quem não quer bancar um Red Label pros parceiros, de copo erguido vim na porta do bau ladrão tudo brindando outra vitoria criminosa (Bem-Vindo ao luto) é tudo nosso a se eu não catar essa porra vou montar na bagaça nessa fita nem que eu morra na selva que vivo leão não reina se trombar com as onça se não mata te põe na cadeia por que essa e a lombra cigarro aceso vou pelo beco pensamento feito dinheiro, é só o que me enteressa no momento.
(Refrão) (2x)
Toca na cara não exclui os sentimentos não, toca na cara não ameniza o sofrimento não, quando o homem chora ninguem pensa assim agora e ate o fim toca na cara.
Vixi mó responsa varias contas no hacke da sala quis sumir meu terno de patrão com um doze na quadra parei na quinta ainda sonhando em cursa faculdade, mais ganhei um estagio de engraxate nas ruas da cidade hoje nois ta ai formado a meia ação pro estado de toca na cara e revolver carregado caralho, pelo menos um pensamento positivo comigo vou ver minha mãe sorrindo, será fico indeciso quero nem ver quando me trombar sangrando na bura de mãos algemadas jogado dentro da viatura (que Deus proteja os pobre, os pensamento inocente não deixe que a miseria acabe com a gente entende), estranho tu tremendo parece prevendo o futuro outro jovem imaturo cheio de furo no pé do muro me sinto um pouco pequeno pra esse mundo, somei mais um na fila 1 milhão de vagabundo.
(Refrâo)
Toca na cara não exclui os sentimentos não, toca na cara não ameniza o sofrimento não, quando o homem chora ninguem pensa assim agora e ate o fim toca na cara.
Ai e um assalto todo mundo quetinho ta ligado, cada um com seus problemas eu tenho os meus problemas cêis também, eu só quero o dinheiro do patrão e só, passa o dinheiro e fica tudo certo não to de brincadeira não em passa o dinheiro e fica tudo certo, ai ou (tiros)





Tem erros na letra? Clique aqui para corrigir


Esse video não é dessa música? Clique aqui para nos informar

Veja mais letras e videos de

Latro





Publicidade



Rap Nacional? Tá no lugar certo! © 2011 Rap Na Veia. Design originalmente por: spyka webmaster (www.spyka.net) XHTML e CSS validados

Feedback Form