Snoop Dogg levanta o público no SWU


Snoopy Dog Brazil

PAULÍNIA - Kanye West é dono de uma das vozes mais marcantes do pop atual. Seu repertório vai do rap, passando pelo rhythm and blues e pelo rock. Ainda assim West fez um show irregular na noite deste sábado no SWU, em Paulínia. Houve grandes momentos, como nas canções "Homecoming" e "Heartless", quando a sintonia com o público atingiu grau máximo. Mas as duas horas de show e um público que se dividia entre o cansaço e a espera pleo Black Eyed Peas fez com que, no geral, o show fosse arrastado e até enfadonho em alguns momentos. Isso ocorreu principalmente com canções mais lentas e românticas de West, que funcionariam bem em um ambiente menor e mais fechado. Figura central no palco, o cantor dá pouco espaço para sua banda aparecer. Sua interação maior é com o grupo de dançarinas. Outro destaque negativo foram a sequências de brigas no lado esquerdo do palco. Foram pelo menos três em cerca de meia hora.
Abrindo com a ópera Carmina Burana e fechando com o pagode "A minha fantasia", do Só Pra Contrariar, o rapper americano Snoop Dogg fez o que dele se esperava. Além das duas "surpresas", Dogg desfilou seus hits para delírio do público. "I wanna rock", "Sensual seduction" e "Beatiful" foram cantadas com as mãos para cima, por uma plateia que se mostrava ganha desde o início.
Acompanhado de uma banda competente (diferentemente do show do Rio, em que se apresentou apenas com um DJ), Dogg cantava quase sempre cercado por suas inseparáveis bailarinas, cujas coreografias iam do exótico ao sensual. Foi o primeiro grande nome a levantar o público no SWU.
Pouco antes dele, Damian Marley, filho da lenda do reggae Bob Marley, fez um show correto, conseguindo mais interação com o público nos dois covers que fez do pai famoso: ''Get up, stand up'' e ''Is this love''
O brasileiro Marcelo D2, que se apresentou antes, fez lotar a área entre os dois principais palcos do festival em um show que animou a plateia. O espaço até então estava apenas parcialmente ocupado, apesar de os shows desses palcos terem começado às 15h, com o rapper Emicida, que também conseguiu empolgar.
Marcelo D2 começou sua apresentação com dez minutos de atraso, com a música "Vai vendo" e era difícil ver alguém sem cantar a letra. Ele cantou grandes sucessos, como "À procura da batida perfeita", "Você quer sair do Gueto" e "Mantenha o respeito", além de uma espécie de pot-pourri com trechos de "Sunday, bloody sunday" e "Malandragem dá um tempo", de Bezerra da Silva. Com um copo de cerveja na mão, bebeu e brindou ao público. O show de D2 foi cheio de participações especiais, como a do filho Stephan, com quem Marcelo D2 cantou a música "Loadeando", que os dois gravaram juntos. Com o rapper Emicida, Marcelo D2 se despediu do público e do palco, de onde saiu formando um trenzinho com a banda.

Fonte: http://extra.globo.com/tv-e-lazer/snoop-dogg-levanta-publico-no-swu-3227073.html


Por: Guilherme V. M. Ribeiro (O Globo) em: 13/11/2011

Mais notícias do mundo do Rap








Rap Nacional? Tá no lugar certo! © 2011 Rap Na Veia. Design originalmente por: spyka webmaster (www.spyka.net) XHTML e CSS validados

Feedback Form