Terremoto no hip hop americano

Boom! Uma bomba em formato de disco dourado caiu na música pop agora em agosto e seus estilhaços seguem ainda atingindo vários de seus setores, sejam eles indie rock, eletrônico, pop comercial e até hip hop, sua verdadeira origem. E mesmo fora da música: moda, cinema. E mesmo na música como business. E mesmo no?

 

Uma ideia de canção que depois virou uma ideia de single, depois um EP e finalmente um CD cheio, gestado em 18 meses mais ou menos no segredo e que traz os dois principais nomes do hip hop americano, os super rappers Jay-Z e Kanye West, amarrados num projeto comum chamado The Throne. Esse CD ganhou o nome de Watch The Throne, já resenhado no Estado.

A conversa sobre mais um disco de hip hop a brotar nos EUA pode começar pelo reconhecimento do rock. Blogs indies americanos acham que o Watch The Throne, a grosso modo, pode ser o OK Computer do rap, comparando ao disco do grupo inglês Radiohead de 1997, na época inovador nas letras e na exploração das possibilidades dentro do estilo da banda.

Rumores que milionários DJs de eletrônico e os mais undergrounds fazem fila para botar as mãos de modo oficial nas faixas do disco de Jay-Z e West, para remixá-las e dar-lhes outra releitura. Lista ela que vai de Moby a Erol Alkan.

Pelo crivo de seus parceiros, Kanye West e Jay-Z aparentemente estão aprovados. E com louvor. Uma das mais crescentes publicações voltadas ao hip hop, a nova e decente Respect, bota os estelares rappers na capa e lança a manchete: "O mais importante disco do hip hop da HISTÓRIA". E continua: "E podemos provar isso."

A revista chega às bancas americanas daqui a 10 dias, jogando uma luz no estado de coisas confuso em que se encontra o outrora miliardário hip hop, das correntes de ouro, festas nababescas com mulheres seminuas, carrões, ostentação geral.

Com uma retração do gênero refletida nas paradas, onde pop comercial, grupos/artistas britânicos, formações teens e ídolos country dominam "os mais vendidos", o hip hop vem ensaiando uma volta ao underground, ao clubinho, às ruas, para uma reciclagem. Isso abriu espaço para nomes badalados mais conceitualmente do que em vendas de discos, como os novinhos Tyler the Creator, Wiz Khalifa, Flying Lotus e até Lil Wayne.

Mas eis que os supertalentosos Jay-Z e Kanye West se unem para pedir uma atenção ao trono no hip hop, que foi deles e, com esse disco recém-lançado, ainda é.

E lá foi Watch The Throne para o primeiro lugar da Billboard em sua primeira semana de lançamento, virando o único disco de hip hop no Top 20 da parada.

A performance de venda do disco deu um chacoalhão no pop. Na primeira semana de lançamento do disco, no iTunes, Watch The Throne teve 321 mil cópias virtuais consumidas, se tornando o disco de hip hop mais vendido nos primeiros sete dias na história da música digital e o segundo, incluindo todos os gêneros (o recorde pertence ao álbum Viva La Vida do Coldplay - 350 mil em 2008).

Em sua versão "real", o disco vendeu nas lojas mais de 435 mil cópias, indo direto para o primeiro lugar da Billboard, tendo a façanha de desbancar o fenômeno de vendas Adele. A cantora inglesa foi tirada do topo depois de 12 semanas com seu álbum 21 liderando as vendagens.

Kanye West (que vem solo ao Brasil em novembro, para cantar no SWU) e Jay-Z (que nesta semana cancelou sua vinda no Rock in Rio) experimentaram ainda uma polêmica estratégia de venda fora do esquema tradicional. No dia 8 de agosto Watch The Throne saiu direto em MP3, apenas na loja da Apple (iTunes), sem lançamento físico. No dia 12, chegou às lojas seu formato físico. Mas, quando se diz lojas, leia "com exclusividade nas lojas nas cadeias da rede Best Buy". O disco mais badalado de 2011, com arrebatadora performance comercial, foi primeiro vendido em supermercadão, o que enfureceu todas as lojas tradicionais de disco da América. Nessas, Watch The Throne chegou apenas nesta última terça-feira, dia 23. Irritando ou não as lojas independentes de discos, o fato é que a atitude comercial da dupla de megastars fez de seu álbum um dos muito poucos discos grandes do pop a escapar do vazamento antecipado para a internet.

Watch the Throne saiu primeiro com sua capa dourada, na versão Deluxe, assinada pelo estilista italiano Riccardo Tisci, responsável pela concepção visual da marca Givenchy. O disco apareceu junto ao bombástico vídeo da faixa Otis, dirigido pelo badalado Spike Jonze. Para a música, é ressuscitado o grande Otis Redding, que aparece cantando em samples. Jay-Z e West envolvidos com cinema, moda e a história da música.

Nesta semana chegou às rádios a música interplanetária Lift Off, com participação de Beyoncé no vocal, uma mistura de conquista das ruas com conquista espacial. Pelo que se sabe, a bela música virou praga e não para de tocar por qualquer lugar que se ande, nos EUA. Dizem até que serviu de trilha sonora para noticiário sobre o recente terremoto que sacudiu parte do lado leste americano. Jay-Z e West envolvidos com abalos sísmicos. Jay-Z, terremoto, Kanye West, bomba. Nada mais natural. 

Fonte: http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,terremoto-no-hip-hop,764292,0.htm


Por: Lucio Ribeiro - Estadao em: 01/09/2011

Mais notícias do mundo do Rap








Rap Nacional? Tá no lugar certo! © 2011 Rap Na Veia. Design originalmente por: spyka webmaster (www.spyka.net) XHTML e CSS validados

Feedback Form