A Voz Que Ecoa (Kartel D'la Rua)

Grupo: O Jogo
Álbum: MixTape O Jogo
Ouça o som:   tocar tocar tocar



Refrão
Que se foda, a elite que se foda
nóis é memo zica nessa porra
a nossa voz, ecoa na cidade
em cada extremidade, atravessa as grades
que se foda, a polícia que se foda
nóis é memo zica nessa porra
zica mesmo hein
em cada extremidade, atravessa as grades

Vem com nóis a voz é em prol do excluído
do desfavorecido nos gueto oprimido
bandido insisto, prossigo na incumbência
e pros playboy do caralho é sem clemência
vai se foder, seus gambé não me dá medo
é desse jeito memo cuzão, nóis paga o preço
pra cantar, pra falar o que tem que ser falado
palavras que deixam em choque o arrombado que
gela quando o mano da favela expressa
a guerra na direta merda sangue desce no solo de terra, né?
mas também tem sangue no condomínio
mais um filho de rico que é vítima do conflito
intenso, extenso, cruel incessante
a lei da natureza expõe bala trassante
no céu infernal das capital do Brasil
fuzil 762 fau berra a mil
puta que pariu tio, cê viu também a cena
não vou mudar o tema dos versos do poema
embora os pipoca farofa se incomoda
e o gangsta rap diz que não apóia
reprova... a metodologia que usamos
a forma... de pensamento de milhares manos
fulano se você é gospel ou under, não importa
mas vê se respeita o bang
porque queira ou não, a gang tá multiplicando
somando e vamo que vamo agregando
narrando a verdade que pra você não existe
foda-se, em nome da rua o Kartel resiste

Refrão

Às margens do asfalto, da terra da garoa
os que é pisa firme radicaliza essa porra
opinião formada ventilou é isso memo
a excência é uma só, contagia ao extremo
assimilo e repudio o que os moleque quer das pista
as nave, as nota entorpecente e putaria
eh, patologia, célula cancerígena
o diabo arma o laço rouba a alma ceifa as vida
sem simpatia, dó, sem compaixão
resumo é projetil e cadáver no chão
em meio as crise as pisicose do inimigo
toma ai, perseverante tio, intransponível
eh, em grande estilo contundente no que narra
os ganster latino aqui... viva la raza
de lenço na cara, e mike na mão
ow, e a multidão dança e soa no salão
eh, intensamente, freneticamente
a ritimologia continua... latente
das ruas do sudeste do asfalto sem limite
do jardim Santa Cristina, pah Favela City
que se é pra cantar, eu vim retransmitir
na dicção fervorosa que faz cê refletir
onde minha voz ecoar, e essa vai me tocar
o cantico proliferá e jamais falecerá
que a martilha tá nas pista, e o bang tá tomado
na contenção fortalece os aliado
do campo de batalha, excepcionalmente
de la america latina, soldado delinquente





Tem erros na letra? Clique aqui para corrigir


Esse video não é dessa música? Clique aqui para nos informar

Veja mais letras e videos de

O Jogo





Publicidade



Rap Nacional? Tá no lugar certo! © 2011 Rap Na Veia. Design originalmente por: spyka webmaster (www.spyka.net) XHTML e CSS validados

Feedback Form