A Seita

Grupo: Patrick Horla
Álbum: A Seita
Ouça o som:   tocar tocar tocar



ei, doutor

A seita, a seita que eu sou...
DJ CAIQUE, Limítrofe audio-mental em ação
PATRICK, DOUTOR
Aceita, a Seita, que eu sou."


REFRÃO
[..QUEM TE CHAMOU/ PRA COLAR NA BANCAA/
..DÁ UM VACILO E NOIZ TUDO TE ESPANCA.
..O FURO que EU TE FAÇO NUNCA ESTANCA/
....PATRICK DEIXA SÓ A PELANCA]
REFRÃO

Um assassino programado pra rimar/
e quando eu rimo eu começo assassinar.
pode assinar, o decreto da revolta/
pode vacinar, minha peste tá de volta.

Solta, os cachorro do FBI/
meu cheiro é de zumbi, eles nunca vão sentir.
Reviravolta, meu bote não dá pra presentir/
furo sua epiglote, até c parar de mentir.

porque aqui assim que a banda toca/
macumbeiro no terreiro de umbanda me invoca.
O suicídio faz com que amigos e familiares/
se sintam seus assassinos particulares.

disse Vicent, e qualquer um que analisar a vida/
começa formular sua própria carta-suicida.
odeio escola, odeio prova, adoro briga/
c se mija todo, e fala que é problema de bexiga.

eu torturo pessoas, que fingem ser felizes/
pra ver se sorriem tanto quando estão em suas crises.
arsenal montado, horla desapontado/
infelizmente nesse mundo seus segundos tão contados.

13 tiros, 13 vezes, 13 mortos/
lâminas que cortam e deixam corpos tortos.
agora não é hora de acreditar no amuleto/
seu organismo tá afogado em Cianureto, durma em paz.

..QUEM TE CHAMOU/ PRA COLAR NA BANCAA/
..DÁ UM VACILO E NOIZ TUDO TE ESPANCA.
..O FURO que EU TE FAÇO NUNCA ESTANCA/
....PATRICK DEIXA SÓ A PELANCA

eu represento a depressão em um corpo vazio/
e pra matar uma multidão só falta o fuzil.
exteriorando loucuras, esterializando torturas/
a arte imita a vida deteriorando pinturas.

eu sou o mais louco, na vai fuder você percebe/
meu lado é a plebe que bebe e foda-se a Hebe.
paranormal patrick, no instrumental do caique/
um canibal tribal e no local eu sou o Cacique

pau-a-pique, não me domestique, ou será trágico/
seu fim, eu te devoro como um antropofágico.
acabo com seu piquenique, com seus trambique/
te arrasto PELO CABELO até arrancar seu aplique.

(minha mente é um alambique) produzo pinga/
que respinga em forma de rima através da Bic.
fique esperto com os instintos animais/
meu soco é como vick, abre suas fossas nasais.

(é Tulio Dek ou Maurício Manieri?!)
pra mim é puta, passa o beck não espere.
(é Tulio Dek ou Maurício Manieri?!)
isso é rap, viadinho num interfere.

um assassino em série, que sugere a briga
te manda pra barriga e em 1 segundo te digere.
mesmo que eu opere e um dia me recupere/
evaporarei pessoas porque o mundo me obriga.

..menos humanos, mais espaços/
os que são meus manos, são escassos
o mundo é uma armadilha, de um filme de terror
quem nasceu, caiu nela, quem morreu, escapou.

REFRÃO
[..QUEM TE CHAMOU/ PRA COLAR NA BANCAA/
..DÁ UM VACILO E NOIZ TUDO TE ESPANCA.
..O FURO que EU TE FAÇO NUNCA ESTANCA/
....PATRICK DEIXA SÓ A PELANCA
REFRÃO

E PASSA A FACA NELA, E PASSA A FACA NELA





Tem erros na letra? Clique aqui para corrigir


Esse video não é dessa música? Clique aqui para nos informar

Veja mais letras e videos de

Patrick Horla





Publicidade



Rap Nacional? Tá no lugar certo! © 2011 Rap Na Veia. Design originalmente por: spyka webmaster (www.spyka.net) XHTML e CSS validados

Feedback Form