Já é de Madrugada

Grupo: Rapper Breakdown
Álbum: Eu Venci a Espera
Ouça o som:   tocar tocar tocar



"1994 Viaduto Dr. Arnaldo, 02h00 da manhã.

Eu ainda estou acordado
Já é de madrugada eu avisto o céu sem estrela me dá mó revolta embaixo de tudo eu me sinto nessas horas estou com fome e frio pagando mó veneno eu preciso respirar que é pra ter coragem.

E lá vem a tempestade castigar e arrastar esta imensa cidade.

Só de lembrar o tempo que eu era alguma coisa para esta sociedade.

A vida me mostrou outra realidade depois que eu caí aqui, cadê o amor?

Onde estão meus aliados agora? Mano é embaçado, quantas palavras foram lançadas,

Quando ainda trampava...

Eu tinha boa grana, estou de olho como águia eu avisto de longe a minha quebrada.
Aqui neste lugar é um verdadeiro inferno, são pessoas que largaram seus familiares.

Na esperança de vencer aqui na Selva de Pedra

Pra que valeu todo esforço da diretoria? Eu não entendo, não compreendo.

Quantas famílias nesse momento dormindo ao relento com fome e frio

Aí acorda meu Brasil!
A minha vida não foi conto de fada,

Aos dois anos minha coroa tinha me deixado.

É Breakdown, pra tudo Deus tem um propósito irmão.

Que propósito é esse? Morar no interior, ser chamado de FEBEM!

O meu progresso na escola foi de mal a pior,

No dia da visita todas as crianças recebiam lembranças,

Papai Noel cansou de receber as minhas cartas com sinceros apelos:

Papai Noel, eu não quero nada desta vida,

Só quero encontrar meu pai, minha mãe, minha família,

Hoje a casa caiu!

Os menores foram para o quarto de um a um foram molestados.

Choro e chicote estralando mano, os anos se passando...

Tinha uma pá de Zé Povinho, que não gostavam de mim.

Uma história de dor, qual é seu nome?

Maldito é o homem que confia em outro homem. (2x)

Refrão:

Deus me ajuda lutar, pois minha mãe me deixou num mundo de dor.

Eu quero encontrar, eu quero encontrar. (2x)

Vamos lá, está tudo sobre o controle, apesar do meu nome ser arranjado por um juiz: M.A.D.S.

Foi como colocar nome em cachorro.

Fácil de mais para o sistema.

O que eles querem ver é mais um ?negão? com algemas, prepara o seu coração.

07h30 da manhã, é hora do café. Meio dia, o sinal da sirene anuncia:

É hora da chepa, mó biqueira essa merenda, mó sol, daqui a pouco eles recolhem os menores.

Contam cabeça como gado:

Número 11, Aqui.

Número 15, Ali.

27, ainda não fugi.

Quanta injustiça eu sofri, presenciei, no centro de São Paulo, no vai e vem,

Eu era um filho das ruas.

Já fazia uma cota que eu saí da FEBEM.

Aí tio, minha visão não era pequena.

Eu confesso o descaso da humanidade:

Criança sem esperança, mulher com criança no colo e eu sentado só na sarjeta

Observando: um tiozinho na cadeira de roda, pedindo esmola muita calma nessas horas.

Você reclama da sua vida, mas não tem coragem de olhar a sua volta e ver:

Quantas chances Deus te deu...


Refrão:

Deus me ajuda lutar, pois minha mãe me deixou num mundo de dor.

Eu quero encontrar, eu quero encontrar. (2x)

Mãe, hoje eu tenho 30 anos, tenho dois filhos:

Michael e Noemi vivem perguntando cadê a vó?

Eu fico imaginando na madrugada de hoje, onde a senhora estaria mãe?

Sabe apesar de morar no orfanato dos dois aos dezoito, depois fui morar nas ruas,

Mas graças a Deus hoje estou vivão mãe, estou esperando sem rancor e com puro amor no coração, pois eu quero te encontrar mãe,

De braços abertos."





Tem erros na letra? Clique aqui para corrigir


Esse video não é dessa música? Clique aqui para nos informar

Veja mais letras e videos de

Rapper Breakdown





Publicidade



Rap Nacional? Tá no lugar certo! © 2011 Rap Na Veia. Design originalmente por: spyka webmaster (www.spyka.net) XHTML e CSS validados

Feedback Form