Zé Brasileiro

Grupo: Rappin Hood
Álbum: Sujeito Homem 2
Ouça o som:   tocar tocar tocar



?deixe me ir, preciso andar, vou por ai a procurar, a rir pra não chorar?.
Zélia duncan:
?deixe me ir, preciso andar, vou por ai a procurar, a rir pra não chorar?.

Vou te contar uma historia que você ainda não ouviu, historia de um sujeito digno do nosso brasil, pois essa a historia de um tal zé brasileiro, de família humilde do interior mineiro, seu nascimento ocorreu em fevereiro lá na bahia lá na baixa do sapateiro, morava na fazenda que seu pai era caseiro, e aprendeu desde pequeno a trabalhar o dia inteiro, assim foi crescendo muleke arteiro fugindo do trabalho ao lado dos companheiros, que a idade avança e não percebe o zé arteiro que ficou de saco cheio, foi pro rio de janeiro, lugar maravilhoso cheio de encantos mil, praia, futebol e samba como nunca ele viu, logo se alistou queria ser marinheiro, anda de navio e ter mulher o tempo inteiro, o sonho não veio entristeceu zé brasileiro, baianinho de pé chato saiu livre do arteiro, então.

Refrão:
?deixe me ir, preciso andar, vou por ai a procurar, a rir pra não chorar?.
Zélia duncan:
?deixe me ir, preciso andar, vou por ai a procurar, a rir pra não chorar?.

O que aconteceu e quase ninguém viu, historia realidade desse imenso brasil, éé zé brasileiro parceiro guerreiro, atrás de serviço, conheceu um engenheiro, que arrumou um emprego numa grande construção o zé todo contente virou um peão, trabalhando feito doido suando o dia inteiro, com cimento nas costa por um pouco de dinheiro aprendeu todo serviço virou um grande pedreiro, pediu conta do trampo, deu adeus ao engenheiro, de tanto come arroz com rapadura, foi pra outro lugar em busca de aventura, foi pra rodoviária de mala na mão e disse vou pra são paulo aqui eu não fico não, chegando em são paulo feliz e encantado, por um trombadinha esperto ele foi assaltado e de mãos vazias, zé tratou de se virar pediu esmola na rua só pra recomeçar, é no mó perreio atrás de dinheiro, la vai o guerreiro mais um brasileiro então.

Refrão:
?deixe me ir, preciso andar, vou por ai a procurar, a rir pra não chorar?.
Zélia duncan:
?deixe me ir, preciso andar, vou por ai a procurar, a rir pra não chorar?.

E com novo emprego passou a economizar, indo nos bailes da vida veio a se apaixonar, maria diarista também se amarrou e depois de 2 anos vejam só o zé casou, foi ai que maria lhe deu a noticia to sentindo enjoou acho que to de barriga, até que chegou o dia do acontecimento mais um menino que alegria o nascimento, assim formou a familia o zé, maria e o menino, constituindo assim o pai, a mãe, e o filho, família humilde unida, é o que mais se vê, mora no barraco simples ao lado do tiete pois essa foi a historia de mais um brasileiro, exemplo pra mim, e pra todos os parceiros pois passou dificuldade e nunca se entregou com dignidade o seu filho criou, levantando todo dia a cinco da matina é zé brasileiro é mais um pai de família
Refrão:
?deixe me ir, preciso andar, vou por ai a procurar, a rir pra não chorar?.
Zélia duncan:
?deixe me ir, preciso andar, vou por ai a procurar, a rir pra não chorar?.

Salve, salve minha parceira zélia duncan, obrigado ela participação, satisfação. essa é pros guerreiros, companheiros, os brasileiros aqueles que não desistem nunca ta ligado salve, salve todos os pais de família, paz a todos

Conteúdo oferecido por Letras.mus.br busca - Cifra- Fotos- Vídeos- Imprimir - Corrigir - Salvar txt -Twittar isto -Orkut -Facebook -Minha Música - Camisetas- Compartilhamento musical » Login » Cadastro »esconder/esconder labels





Tem erros na letra? Clique aqui para corrigir


Esse video não é dessa música? Clique aqui para nos informar

Veja mais letras e videos de

Rappin Hood





Publicidade



Rap Nacional? Tá no lugar certo! © 2011 Rap Na Veia. Design originalmente por: spyka webmaster (www.spyka.net) XHTML e CSS validados

Feedback Form