Olha O Menino

Grupo: Reviravolta Máfia
Álbum: [Desconhecido]
Não há video para essa música



"Foi ao vivo hé eu assisti, eu vi
À olho nu não pela DIRECTV
Ai ajusta o foco vem dar um close,
Cachimbo na boca de criança é igual doce"

12, 157 é o PASSWORD
No crime num tem CONTINUE, é GAME OVER
Chega aí, ouve sente o clima quente, acelerado
O cheiro é bem diferente do BOTICÁRIO
Descalço ,mulambo com a barriga nas costas,na nóia
Revirando a lixeira que nem um porta jóia

- Tamém, pra quem ficou só com o que sobrou da panela
Qualquer latinha requenguéla que pesa vira pérola...

Num encherga,na era do clone ainda tem força (que se foda!)
Papai noel de cinza num traz panetone, tem um monte ó pai
Em baixo da ponte seu lar, qué ve aonde vem cá
A rua me esconde, ó alá!
O muleque vendo TV com os cachorro na máquina da padóca
morrendo de água na boca do frango com farofa
Sem escola só de esmola, a cena hãn chega a ser cômica
(- Falta comida no país da urna eletrônica...)
Só que tem maconha, crack, ferro
Agora me diz onde é que tá a ordem eo progresso?
Barraco de madeira com goteira no teto
Testado pela chuva sem selo do IMMETRO
É véro a pátria num é minha parceira
(Sincero...) Os cara maquiou a bandeira (Vai vendo!)
O verde é o Dóllar que nunca ta no meu bolso
O amarelo o roléx do empresário de ouro
O azul só em mansão no tobo água nas piscina
O branco no colarinho lá de BRASILIA
As estrelas não brilham mendingam no sinal
E o poodle da madame bebe água mineral
(-É o trânsito parou por causa de um carrinho,
Lotado de papelão, latinha de alumínio,
Ai adivinha só ó quem tava dirigindo?
Num era nenhum doutor não,não nenhum grã-fino!)
Muleque de rua menino maluquinho
Super-herói que num sai na revista em quadrinho
Queria um chambinho mas ganhou um cachimbo
Hé num é seu filho só que tamém num é invisível.

(Refrão 4x)
Olha o menino ui,olha o menino uiuiui

- As vezes antes de dormir aqui na praça
Eu fico olhando pra lua, pr'aquela estátua
Eu sei que tão me vendo, mas ninguém faz nada
Parece o presidente que a minha mãe tanto falava
As tia faz que nem me vê quando me tromba
Carinho, comida hé, só pras pomba
Agora se eu peço um real pra comprar marmitéx
Ela fecha o coração, sai fora muleque..!

Se todo sofredor é uma estrela irmão, intão
Eu também faço parte da constelação, né não
Eu sou a estrela da bandeira da periferia
Analfabeta, suja, maltrapilha
Sem vida, apagada na lama,afogada,
Desbotada, sem brilho, fosca, esfolada
Mas que nada diz o ditado toda estrela é um astro
Perai só que eu não sangue bom, eu sou um orfão
Ao Deus dará só com bala e pirulito
Sonhando em ser adotado por um gringo
Hé sem dingobell sem ceia sem Buffet
Aqui o carrossel doce é só pa'vê
Bem que eu queria ter nascido em berço de ouro
Ganhar mesada ter casa num ta com piolho
Mas como que ce quer que eu reaja sem nada no estômago
Distante dos cadernos da UNICEF e da ONU
Longe dos pano só com uma havaina, encardido
Tomando sopão e imaginando SUCRILHOS
Éh presidente, ninguém vive de papinha
Na rua não tem anjo da guarda, fada madrinha
Banco vira cama, chafariz vira chuveiro
Papelão coberta, pedra travesseiro
Pouca escola, muita cola, efeito soda cáustica
Adoleta, pediu não dá, a ação é automática
Vem, vem vê na prática o frio na madrugada faz mágica
Congela muleque igual pinguin na Antártida
- Mas ai, e a pátria?
- A pátria num quér nem ver se eu tô no garimpo
Atrás de ouro, na mina de sanito
Eu xô o baixinho que a rainha esquexeu no mundão
A xolidão marcou um X no meu coraxão
Quando caí a estrela cadente
Faz um pedido pro muleque carente.

(Refrão 4x)
Olha o menino ui,olha o menino uiuiui

Hoje eu vô erguer a bandeira à meio mastro
De luto pela estrela que nunca foi astro
Mas correu suado, descalço de monte
Atrás do boiado lotado que o vento trouxe
Na mó função pra ver quem pegava o raião (Gritaria!)
(Ô se liga aê mano, carretera não,tá na mão, tá na mão!)
A distruição na televisão, no 38
Surpresa que atira não vem no KINDER-OVO
Livro, tão tudo mofando na estante
Deixaram a lição de casa pra fazer cortante
Antes, era estirante, iô-iô, capuxeta
Só que hoje é farinha, crack, bereta
É o jogo é pra valer parceiro, num é à brinks
Na era da quadrada já era o estilingue
Ninguém é café com leite, ó o bagulho é sério, num tem mais rélo
Fulano comeu linha, deu brecha, vai ter duelo
- Ôh inferno (lembro o tempo) Quando o céu que era forrado
Agora é o inferno, as penita, os x que tão lotado
Pá-pum mano, pegou num pagou, embaçou
Mais um mano que o crime cortou e aparou
Quem vive de brisa o vento leva embora
Infância perdida, só o pó da rabiola
Na nóia, ou dentro da FEBEM guardado
Agora o pipa dele vem do quadrilátero
- Pô mãe desculpa, mandei busca pro lado contrário
O bulldoguinho ganhou do pexinho, disparado
Troquei o carretél por um papel ai, acabei trancado.
É embaçado, o futuro promete e assusta
Sem passado, sem ursinho de pelúcia
Vem cá, degusta, experimenta o prato vazio
Muleque dormiu sonhando com PLAYMOBIL
Da poltrona ninguém viu, esconderam a verdade
Aterro sanitário tio, num é PLAYGROUND
Cê sabe a realidade aqui é um BACK
Faz juz e traduz mais que qualquer tecla SAP.


(Refrão 4x)
Olha o menino ui,olha o menino uiuiui





Tem erros na letra? Clique aqui para corrigir

Veja mais letras e videos de

Reviravolta Máfia





Publicidade



Rap Nacional? Tá no lugar certo! © 2011 Rap Na Veia. Design originalmente por: spyka webmaster (www.spyka.net) XHTML e CSS validados

Feedback Form