A Lei

Grupo: RZO
Álbum: Todos são Manos
Ouça o som:   tocar tocar tocar



Aqui na nossa área está tudo normal
Passando umas gostosas e uns paga-paus
Até aí tudo igual e tal, natural
Mas hoje é sexta-feira e pra uns acaba mal
Vejo logo cedo com a face transformada
Não vão mais pro role, não ligam mais pra nada
É foda ver os manos nesse estado
Fracos, parados nas esquinas, altamente engessados
Já era, agora é tarde pra falar,
Ninguém vai me escutar, ninguém vai querer parar
É mais fácil do que todo mundo pensa
Depois de algum tempo se liga, se compensa
Mano, e ai? Vamos dar um rolezinho
Vamo mano rapidinho são apenas dois tirinhos
Aaaaaa, não dá, não dá
Assim vou acabar vendo os manos da quebrada sem curtir, semzoar
Cara é estar chapado, sorriso pra todos os lados
Ficar irado, é coisa de noiado
Mais fique esperto no role,
tá cheio de vagabunda e é fácil se envolver
e se você estiver admirando a lua
então se liga nos gambé quando tiver na loucura
às vezes paranóicos descontrolados
brincam de revólver e te deixam agoniado
É, dando tiro por aí (pow pow)
Ih maluco sai de mim
Aonde você vai cair? Xiiiii, pummm
Bala perdida estou tentando te salvar,
Pra no futuro eu também te admirar
Mano eu queria um dia te trombar
Você e sua mina sossegada
Mais se continua usando, fulano
Nunca vacilando e sim como malandro

Refrão:
A lei é cada um, cada um
Já vi mano comum e desconverso e BUM!
Agora esquece, já foi pro além e quem sabe
Está bem melhor que aqui (2X)

Ah Sandrão, aquele mano, meu chapa não é tirano
De reto em reto a desandado eu diria mais dominado
Considerei, avisei, onde for crime desiste
Fulano já morreu, veja bem, beltrano também morreu
Só roubar assim não dá, uuu, se liga
Cachimbo é destruição, não pára de afunda
Seu sangue era tipo A, mas foi sugado foi drenado
Agora desandado, é a cara do drogado
Tem gente pra condenar mas ajudar nem pense
Telefona para a polícia, o vizinho do lado ou da frente
E de repente, atrás vem gente que vem de Blazer
Vem um com cada agulha, se pá o resto não tente Vários malucos,mesmo sangue bom
Não aguentou não , se perdeu no passado
Já é passado e não voltou
Isso não é bom, parece o fim perto do fim
Chegando mais cedo vendo morte, sofrimento
Filho chora e mãe não vê, (Uh Uh)
Vai sofrer, se for negro vai sofrer
Borrachada, rajada de PT
A lei vai crescer, assim prossegue
Na batida do Rap eu vou dizendo o que sucede
Escuta guarda, milianos de periferia temos
Então sabemos, morrer é um fator de menos
Não pode sem saber, é tudo reponsa melhor respeito toda vez

Refrão

Pode crê, no gueto tem essa desvantagem
Esse é o começo e o fim da malandragem
Contagem é feita nos dedos
Os mano que morreu, quem não perdeu um camarada seu
Fudeu mano, a vida não é boa como parece
Dia após dia a droga e o tráfico cresce
Fecha uma boca e abre duas
Pra reforça, o domínio continua
Nas ruas o clima tá tenso, tem polícia
Um corpo no chão a espera da perícia
Notícia que a mãe já esperava até então
O pai é ausente, só resta o irmão, cuzão
Sem chance, essa vida eu não quero
A minha mãe em primeiro lugar é o que eu quero
Prospero uma vida melhor,
Não escolhi o caminho de me afundar numa carreira de pó
Só, eu to ligado como é
Uma pá de mano errado, uma pá de mulher
É, os boy conseguiro o que queria
Acabo a escravidão, continua a covardia
Que as tia do morro não entende, não compreende
Aquele filho querido que hoje depende
Será que não existe Deus?
Será que é só comigo? Será que é um problema só meu?
É foda, é difícil suportar, a pressão é maior, eu quero mematar
Deixar, largar, desistir, fugir, sumir,
Se pan ninguém me vê mais por aqui
Mas não, eu tenho uma missão
Foda-se o que dizem, foda-se a televisão
Meu lugar é do lado dos irmãos
De correria ou não, você é preto também ladrão

Refrão





Tem erros na letra? Clique aqui para corrigir


Esse video não é dessa música? Clique aqui para nos informar

Veja mais letras e videos de

RZO





Publicidade



Rap Nacional? Tá no lugar certo! © 2011 Rap Na Veia. Design originalmente por: spyka webmaster (www.spyka.net) XHTML e CSS validados

Feedback Form