O Que Tiver Que Ser Será

Grupo: Versão Popular
Álbum: Quem Viu, Viu
Ouça o som:   tocar tocar tocar



A escrita é essa aqui
Mil quilates feito a punho
No cabuluso inverno
Era nóis
mês de junho cabuloso

A mil freqüência sem som, alguns malandros sem sorte
Eis os fracos sem fé, a espera da morte
Assim triste é ver quem nunca teve amor
Andando pelas ruas na moral sem rancor
Como é que faz
Se perguntas é, desacreditado
É cada um na sua e carregando seu fardo
Dias bons vem Meus amigos também crêem
E pra você vê, a diferença
Nem sempre é estar no poder
Repare só os moleques querem ser, furiosos e velozes
Num pique tipo zooom
As naves adaptada ao século vinte um
Mais eu não, to no mundão
Palavras vão mais não em vão
Valores aos valores
Sim senhor, Deus deu vida
Salve Fagner Resposta é missão cumprida
Doa a quem doer estar no rap é procede
Se pra pouco Zé
Sou mais um Zé fazer o que
Quem não entende a luta
Vai falar, falou é Judas
Cicatrizes, diretrizes
Infelizes que não mudam
Daqui pra li é perto
É o futuro eu to esperto
No presente é muita gente
Infelizmente no deserto
Tempo bom é chuva
Pra depois colher as frutas
Um povo que acredita
Sem preguiça vai em busca
Carai que dia quente
Só comenta segue em frente
Na caminhada é Jô
Com uma historia diferente
Terra para todos
Tudo de bom em dobro
É a frase dos guerreiros
A quem herda um mundo novo
um mundo novoa quem acreditar
eu acredito e vou buscar
assim que é

Refrão: (4x)
O que tiver quer ser, será

Nostradamos, nostradamos
Palavras são profecias
Convenhamos, convenhamos
Vão às noites vêm os dias
O que será que esta por vir
O que tiver que ser
Então que seja
Vamos ai
São as pedras nos caminhos
São as rosas e os espinhos, só
Eu sei bem por onde vou
Vou à luta com quem luta
A velha frase prevalece
São fases apos fases
Memorize não esquece
Separações em alta
Alianças viram palta
Tento até que eu tento
Pegadas não me agradam
Meu coração meu cofre
Em danger ele sofre
Feridas são feridas
Marcadas pelos cortes
Franzino eis o menino
Um homem no destino
Perdidos no vale
Vaidosos no caminho
O que tiver que ser,
Será, eu vou pra ver
Viver, vivenciar
Assim meu bem querer
Quero varias primaveras
centenas o quem me deras
Sair sã e salvo
Das roubadas da selva
Só vale pena ver pra sempre
Os pretos em liberdade
Suaves e tranqüilos
No andar da carruagem
Quatro trutas
Trilhando a estreita trilha
Uma mulher
Tem a voz na família
Pra quem quiser sabe
Eu vou dizer bom
Aqui estou
Sem ligar pra cor do batom
Rap é o som, sem leque
De salto alto sim
A vida me permite
eu falo por mim, enfim
mulher tem que saberser mulher
Vi uma pá parar no tempo
Ao relento e sem fé
O que seria de mim
O que seria de nois
Guerreiros e guerreiras
Atuantes com a voz
A Kelly está
Aqui de prontidão
Vamos lá
Sonhar com os pés no chão
Firmão sem viajar
Um bom lugar é aqui
Não é Madri nem malibu
Eu desejo a vida bela
Sem sair da zona sul
Em quem diria
Alguém com uma caneta
Escrevi a vida
qualquer dia
Você que acreditou tera saída
Sem se preocupa doidão
Tudo na vida muda
é Tipo as quatro estação
Eu vejo arvores, secas
É o inverno em ação
Pois para a primavera
Haverá outra missão

Refrão

Vocês veram
Sentiram na pele o verão
Uns dias atrás era outono
Então quem viu sangue bom
Se no jardim não há flor
Existe terra a espera
E o verde é cor
Por que em vida prospera
Quem sempre acreditou no amor
Mais não da boca pra fora
Entenda a fauna e flora
No rap eu acredito
E tudo tem a sua hora





Tem erros na letra? Clique aqui para corrigir


Esse video não é dessa música? Clique aqui para nos informar

Veja mais letras e videos de

Versão Popular





Publicidade



Rap Nacional? Tá no lugar certo! © 2011 Rap Na Veia. Design originalmente por: spyka webmaster (www.spyka.net) XHTML e CSS validados

Feedback Form