Povo Que Sofre

Grupo: Versão Popular
Álbum: Quem Viu, Viu
Ouça o som:   tocar tocar tocar



Me oferecerão pra viver
Uma rotina ilegal
Terreno da prefeitura
A classe dos marginal
Não é assim que eles falam
Que os pretos têm que ser preso
Que a saída não é roubar
Sempre tem um outro jeito
Parece brincadeira
Tem alguém tirando onda
Pobre nordestino
Sobrevive pela sonda
E para as caras bom
Coroa de espinho
Os valores estão trocados
Preste atenção menino
O governo que criou
Esse monstro que sou
E depois vem me dizer
Que só escrevo o terror
Fazer o que fala do que
Se não temos lazer
Se desse jeito ta bom
Mais só se for pra você
Eu gostaria de ver
Os pivetes crescer
Sem ter medo da policia
Sem ter medo de morrer
Ter escola descente
Ensino fundamental
Mais por enquanto o futuro
Esta seguro com a fau
O passado bem recente
Que você esqueceu
Agora você ta com medo
O moleque cresceu
Blinda o carro, poe cachorro
Aumenta o murro
Poe sua Vida no seguro
Por que é doido o bagulho
O cerco esta se fechando
Ninguém agüenta mais sofrer
Cada um faz o que pode
O que não pode é morrer
Vou dizer pra você
Que dinheiro não é tudo
Mais sem ele, não é nada
Vegeta nesse mundo
Ninguém nasce ladrão
Isso pra mim não é dom
Ser branquinho ou negão
Alemão ou marrom
Vários sonhos perdidos
Varias decepção.
Pois o sonho de vitória
Agoniza no chão
O povo aqui é sofrido
Esta carente de amor
Enquanto o coração bater
Eu to na guerra, moro.

Refrão 2x

Nos quatro da cidade
Eu vi sofre os preto
São Luiz e na mira
Varias vilas englobam o guetto
Os brancos aos trancos e barrancos
Talvez do mesmo jeito
é ou não é
Quem tem mais menos
A quem viva no veneno, boicotados
Cinco M, no atrazo
é nois que vive o fato
H não e boato
Bom se pra nois
Um qualquer constasse
Facil, enfim nada sobrou
e pru ce ve
e la vai jhow, no mesmo perre
ripley na brasa e sem poder
varios manos, vinte anos
cart em branco
tipo eu e voce
andando a pe movido a fe
Homem e mulher
contra a mare, vai e rema
barriga vazia
criança não fica de boa
lembra a horas, a espera da melhora
real euro ou dollar
e não e labia assim alguem nadou
nadou, morreu na praia
falado e os cara
vem a nois, em vosso reino
e deixam falhas
mundão repleto de homens falhas
vox popule, garantiu vitoria
eles não merecem nossas palmas
merecem vaias
por que a historia e registrada e sofrida
são varios
quem não conheçe um ze
que veio de longe
com os filhos e a mulher
na bagagem troxe a fe
mais nada, feliz poucos então
e o que e, dinheiro na mão
da um razante e pirante
um filme em curta duração
não tem moeda, foi ontem eu vi
olha o rappa, desmonta a barraca
de viatura a prefeitura
os homem embaça
oh so que raça
falei de um povo que sofre
enquanto nois tenta a sorte
falei de um povo que sofre
enquanto nois tenta a sorte.

Refrão 2x

Povo que sofre e assim
sem descança sem dormi
Quinhentos anos na mesma
sem sorrizo firmeza
firmeza, firmeza
sem sorrizo firmeza
debatendo com os vermes
sem nada na mesa





Tem erros na letra? Clique aqui para corrigir


Esse video não é dessa música? Clique aqui para nos informar

Veja mais letras e videos de

Versão Popular





Publicidade



Rap Nacional? Tá no lugar certo! © 2011 Rap Na Veia. Design originalmente por: spyka webmaster (www.spyka.net) XHTML e CSS validados

Feedback Form