Quem Viu, Viu (Part. B.Valente)

Grupo: Versão Popular
Álbum: Quem Viu, Viu
Ouça o som:   tocar tocar tocar



Bem aventurado
O réu tem raiva da justiça
Eu não fico a vista,
Gente boa foi na lista
Eu vi
Não foi no Vidigal
Foi no quintal
Eu vi cai.
Irmãozinho que tinha o dom
Pra debater
Vamos ai, Luta
Olha quem te olha
Com bons olhos e já
Convoca pra soma
O que se vê no dia a dia
Nos não podemos aceitar
Violência veloz
Esta acabando com nos; Ali
Dentro de um bar
Foi onde vi
Mais que um se distrai
Tal pai tal filho
Em parceria pro fim
Um maluco cabuloso
E uma ficha pra mim
Pra no is jogar
No bilhar bolas cai
No baralho cartas vai
Truco seis só
Vê direito rapaz, paz
Crianças ao nosso redor
Eu quero melhor
Eu viso à paz no amanhã
A fala livre sem nó
Quatro V vai vendo você
Vê se me entende irmão
Uma andorinha
Sozinha não faz verão
Eu cantei prestenção
Pensa rápido ladrão
Tem família nas vielas
E por elas quem são
Eu no presente
E muita gente você
Passar batido não é comigo
E quem falou tem que vê
Viajei, fiz castelo louco
Por dinheiro eu sei bem
A corda arrebentou
Eu tive sorte e zarpei
Cadeia é sofrimento
E pra família e pere
Ponteiro anda para traz
Amigos lá escutei
Eu nunca passei
Mais eu sei não é kit net
Zona sul não é o play Center
Um pouco nos se diverte
Veja se puder
Acredite se quiser
Viu quem viu, viu
É mil graus ou não é
É de mais pra muita gente
Acontece infelizmente
Se veremos a melhora
Eu não sei de repente
Vaidade afunda o homem
Sem postura pelo Money
Trai toda a família
É a ira de um homem,
Mulher até por um qualquer
Fazendo jus
Enfim não vejo todas
Ao amor que diz seduz
Pela beleza é vista
Arrasta e fura a vista
Difícil coração
Num mundo então egoísta
Bicho de pano é traça
Vários loucos na bagaça
Muvuca eu vi na praça
Apreciando o que é de graça
Os fieis ao pé da cruz
Os maldosos de capuz
Espíritos vagando
Há procura de luz eu não vi
Mais teve quem viu, e viu
Em uma dessas ruas
De são Paulo Brasil.

Refrão 2x

Olhos que delatam
Passou piscou nem viu
Evolução Amil
Foi poucos que sentiu
Olho o meu redor
O que eu fiz de melhor
Quantos que ficaram
Pra dividi o pior
Eu não vejo ninguém
Se ta sempre sozinho
Às vezes a família
Os parceiros seu filho
Mais tem nada não
Quem eu gosto ta comigo
Prefiro qualidade
Tio fica tranqüilo
Abra o coração
Resgate o que resto
Esqueça o passado
A bronca que te condeno
Enquanto tem vida
Ainda há tempo fique atento
Não faz bem pra alma
O que te mata por dentro
Eu vi, eu vi
Quem não viu, já viveu
Vários apetitosos
Que se arrependeu
Meu respeito é mutuo
Aqueles que se converteu
Cada um cada um
Faz o seu que eu faço o meu
Tem coisas que se viu
Que era melhor nem ter visto
Um punhado de areia
Pra você é só um cisco
Pimenta no olho dos outros
É refresco
Quer mudar de estilo
Pois tudo tem um preço
Talentos não se aprende
Tio, Já vem de berço
Sofrimento delatado
Não falei nem um terço
Tem que o ser o melhor
Em tudo que se faz
Tem que andar na frente
Nunca correr atrás
Respeita todo mundo
Praticar o bem
Ajudar a todos
Sem olhar a quem
Quer viver quer viver
Lealdade e proceder
A verdade que condena
Vai te absolver
Mais tem que ser monstrão
Em tudo que se faz
Esquecer a emoção
Tem que ser eficaz
Indicador que aponto
Aquele que apronto
Logo mais foi quebrado
O dedo dele se quebro
Mano é só terror
O durão também choro
Se a chave da bela
De valor pelo amo
Na escola da vida
É sem diploma de doutor
Tudo o que aprendi
A rua que me ensino
Tem que saber recusa
Laranja podre num dá
Um nove zero disca
Zé porva de celular
Não se poder relatar
Tudo aquilo que se viu
A lei é do pisciu.

Refrão 2x

Viu tio
Quem fugiu do canil
Vira lata que ladra
Nem buldog nem dálmata
Pedigree original da favela
Defendendo a raça
Balançando a massa
Viu tio Mil voltz Brasil
Quem viu, viu
Quem não viu
Mosco subiu,
Eu vi tio, juro
O pregresso chegar
Computador domina
Os email e pá
No beco escurono gueto
O tal do esqueleto
Com um vidrinho
Com lança perfume dentro
Também vi
Uma emissora safada
Um bim ladem em fúria
Explodindo as granada
A guerra está PA
Em todo lugar
Um coração confuso
E uma pistola em uso
Eu vi vários vira vilão
Depois do vicio
Cai no precipício
Abraçado com o cachimbo
O que eu vi
 Em frente o bar
Também foi fim de carreira
Família destruída
Num copo, brincadeira
Um convite pro drink
Uma Martine, wisk
Um gole um brinde
De pé não há quem fique
Lembro da minha Võ
Que oh, flava assim
Que cada cem que nasce
Filho, um é ruim
Cifrão na mão é bom, bom
Vários que é irmão
A fila da lotérica
Dobra o quarteirão
Em duas rodas, zoom
Lá vai o motoca
Entrega o envelope
Não esquece assina a nota
Suor valioso
Que corre pelo rosto
Din., din. digno oh
Que muito loko, nenão
Venci o tempo
Venci o sofrimento
Conquistei o respeito
Vira-lata do gueto,
Bom cachorro bom
Não vira sabão
Ocasião faz o cão
B.valente e versão
Nas ruas da sul você conferiu
Você viu e ouviu
Quem fugiu do canil.

Refrão 2x

Viu São Paulo zona sul
Brasil, l eu falei tio
Mil graus é o que se passa aqui
Quem viu, viu
São Paulo zona sul Brasil
Eu falei tio
Mil graus é o que se passa aqui
Quem viu, viu





Tem erros na letra? Clique aqui para corrigir


Esse video não é dessa música? Clique aqui para nos informar

Veja mais letras e videos de

Versão Popular





Publicidade



Rap Nacional? Tá no lugar certo! © 2011 Rap Na Veia. Design originalmente por: spyka webmaster (www.spyka.net) XHTML e CSS validados

Feedback Form